Disco XIII {(1970)} Let it be \\|// Deixa ser, deixe estar

salve salve, minha honrada & supimpíssima bloguesfera. no ar mais um artigo para homenagear os famigerados cavaleiros de Liverpool, com mais um disco da bandinha dos irmãos Britto.

na verdade, o derradeiro disco do quarteto fabuloso, LET IT BE. este disco deveria ter sido publicado aqui no blogue em Maio, dia 08, mas, numa mistura de ato falho e vontade premeditada, só acabou saindo hoje – sem nenhuma data especial referente ao quarteto, passando de raspão no aniversario de nascimento de John Lennon. este último disco encerra a série de artigos aqui no blogue dedicados a desmistificar o significados das letras das músicas, para os falantes de Português enquanto língua materna.

fiz essa confusão para publicar, mas tive uma grande ajuda do grupo: Let it be é o último lançamento em disco de longa duração, mas foi gravado antes do Abbey road (o 12o disco, lançado em Setembro de 1969). foi Paul McCartney quem teve a idéia de sair da inércia e, querendo voltar à vida, afastar a depressão, e quem sabe até mesmo encarar o público em shows ao vivo, propõe que a banda deveria se juntar para cunhar mais uma peça artística única na História. McCartney sentia que a banda tinha perdido sua coesão, nestes quase 4 anos sem tocarem juntos e ao vivo. seu desejo era o de juntar o mínimo essencial para fazer música, sem maquinaria pesada de estúdio – e isto é um grande reflexo da música como um todo, no final dos loucos anos 70.

o disco teve muitas e muitas horas de gravação de material bruto. ele começa com um nome diferente, Get back, e como um simples ensaio para, com canções inéditas, cair de novo na pista em apresentações ao vivo. para iniciar os trabalhos, a banda reúne-se primeiramente em um estúdio de televisão em Twickenham, entre 02 e 16 de Janeiro de 1969, porque a idéia era montar uma apresentação ao vivo – ninguém pensava em lançar um disco, ainda. o diretor Michael Lindsay-Hogg e sua equipe acompanhavam o que acontecia nos estúdios. o filme que surge tem 85 minutos de duração, e é famoso por mostrar o fim de uma banda, ao invés do nascimento de um disco: erros, conflitos e discussões, porque a banda estava desacostumada a agir em conjunto, e os meninos de Liverpool começaram a sentir a pressão com o compromisso assumido. depois de uma discussão nervosa entre George Harrison e Lennon, o guitarrista decide deixar a banda.

a decisão de Harrison dura uma semana. a banda acatou algumas de suas vontades para que ele retornasse – uma delas era deixar o estúdio de televisão em Twickenham e ir direto para os estúdios da Apple, onde poderiam plugar os instrumentos em gravadores de várias pistas e assim quem sabe…criar um novo disco! eles também deveriam deixar esse negócio de cair na estrada de lado, pelo menos por enquanto, até o momento em que conseguissem voltar a tocar em conjunto sem comprometer a performance de ninguém em cima do palco. essas sessões de dez dias na Apple foram produtivas: das 12 faixas, apenas duas foram gravadas em outros momentos. os números ficam um pouco mais interessantes, se olharmos para o material bruto que originou o disco: 55 horas de filme em 16mm, e 140 horas de som gravados, que atualmente estão rolando pelas mãos do diretor de cinema Peter Jackson. Jackson promete para breve um filme sobre essa epopéia, e talvez consiga dizer porque esse disco demorou tanto para ser editado, passando das mãos de um engenheiro de som para outro (Phil Spector é o cirugião que conseguiu encaixar as peças no quebra-cabeças, fazendo-o soar como o conhecemos). o cineasta garante que “assistir aos The Beatles trabalhando juntos, criando músicas clássicas a partir do zero, não é apenas fascinante – é engraçado, edificante e surpreendentemente íntimo”. porque nessas sessões no prédio da Apple, o grupo convive junto, e tocam centenas de canções no estúdio: os integrantes mostram suas composições próprias uns aos outros, músicas que acabarão nos discos de carreira solo; fazem covers de Bob Dylan, Consuelo Velásquez, Carl Perkins; o Abbey road mesmo, ele nasce ali, nas sessões de Let it be.

ainda pretendo alguns artigos sobre as outras vinte e uma versões em Português do Brëzyl do cancioneiro beatlemaníaco (com um total de 195 músicas), mas vamos parar de sofrer por antecipação, podemos?

e agora,

como dizemos por aqui,

 

deixe-me trazer para vocês o número muito nosso conhecido

 

 

doosssssss

 

 

irmããããos

 

 

BRIIIIIIIIIIIIIIIITTO!!!!

 

 

 

 

disco 13: Deixe ser, deixe estar
08 de Maio de 1970

13.A-01 DO15 D3 NÓ5 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

[“Eu transo um pigmeu”, de Charles Hautrey e os Deaf Aids.
Fase um, na qual Doris formaliza suas juras]

Dois de nós             nenhum destino
Gastando todo           o salário de alguém
Você e eu               dirigindo domingo
Sem encontrar           nosso caminho de volta
[   De volta para casa
[   De volta para casa
[   Vamos para casa

Dois de nós             escrevendo cartas
Enviando postais        no meu quarto
Você mais eu            riscando fósforos
Levantando barras       no caminho de volta
[

r.
Você e eu, nossas lembranças
Bem mais velhas que a estrada sem fim

Dois de nós             à prova de chuvas
Devagarzinho            lá na Sol
Você mais eu            atrás de ervas
Nenhum destino          no caminho de volta
[

13.A-02 TR4N50 UM PÔN31 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Eu transo um pônei
Você pode celebrar tudo o que você quiser
Você vai celebrar o quanto você quiser

Eu sou barbeiro
Você pode penetrar aonde você estiver
Você vai penetrar aonde você estiver
Já te avisei

[   Meu tudo é você
[   Tudo vai acontecer como você querer
[   Porque…

Eu peguei um buldogue
Você vai irradiar tudo que você é
Você sabe irradiar tudo que você é

Agora

Eu enrolei um stoney
Você vai imitar todos que você quiser
Você pode imitar todos que você quiser

Empuxa o vento
Você sabe indicar o caminho que você quiser
Você pode indicar o caminho se você quiser

Agora

Eu sozinho no frio
Você vai sindicalizar o barco que remar
Você sabe sindicalizar em cada barco que remar

13.A-03 A CRU24R 0 UN1V3R50 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Palavras voam pelo salão           chuva infinita em papelão
Suave e selvagem seguem caminho    a cruzar o universo
A alegria e a culpa em ondas       vagueiam minha aberta mente
A me possuir                       e a acarinhar

[   Jai   Guru        Deva                    On
[   Nada vai    mudar      meu   mundo

Luzes piscam e dançam   para mim    igual a olhos em um milhão
Me chamam e chamam, cada um        a cruzar o universo
Serpenteia a mente  é o furioso vento          dentro de um caminhão
Pede carona e é cego,        quer seguir caminho     e vencer no universo

Sons de riso, tons da vida         enchem os meus sensíveis ouvidos
A me incitar                       e convidar
O infinito e imortal amor          são todos Sóis em um milhão
É o que me chama e chamam          a cruzar o universo

13.A-04 EU M1M M3U (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música George Harrison, direitos protegidos por Harrisongs Infinite)

O dia inteiro                      Eu mim meu
Eu mim meu                         Eu mim meu
A noite inteira                    Eu mim meu
Eu mim meu                         Eu mim meu
Nenhum medo de parar               com isso
Todo mundo passa                   por isso
Cada vez mais                      o tempo inteiro
O dia inteiro                      Eu mim meu

[   Eu mim meu meu

Ouço só isso                       Eu mim meu
Eu mim meu                         Eu mim meu
Também no choro                    Eu mim meu
Eu mim meu                         Eu mim meu
Nenhum medo de mexer               com isso
Todos dizendo                      isso
Fluindo mais leve                  que o vinho
O dia inteiro                      Eu mim meu

13.A-05 54C4 3574 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Igual a     um    Rolling     stone
Igual ao FBI            e à CIA
Também à BBC            ao BBKing
E a Doris Day
Matt Busby
Saca esta, saca só

[Essa foi “Será que você vai sacar?”, do Georgie Wood.
E agora, ouviremos “Hark e a vinda dos querubins”]

13.A-06 D31X4 53R, D31X3 3574R (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Quando me percebo                        em tempos tristes
Irmã Mary                                é quem me diz
palavras de quem sabe:                   Deixe estar!
Na hora em que bate                      a agonia
Ela é a única                            a ajudar.
É a voz da experiência:                  Deixe estar!

r.
[   Deixa ser, deixe estar
[   Deixa ser, deixe estar
[   É a voz da experiência, deixe estar!

Quando as pessoas                        deste mundo
começarem a                              se enxergar,
vai surgir uma chance,                   Deixa ser!
Mesmo os nossos                          que já se foram
a ajuda deles                            você vai ver
Vai surgir uma chance,                   Deixa ser!

r2.
[   Deixa ser, deixe estar
[   Deixa ser, deixe estar
[   Vai surgir uma chance, deixe estar!
[   Deixa ser, deixe estar
[   Deixa ser, deixe estar
[   É a voz da experiência, deixe estar!

Quando chega a tal                       da noite escura
Resta uma luz                            que me faz brilhar
Brilha noite adentro,                    Deixe estar!
Acordei com esse                         som de música
Irmã Mary                                é quem me diz
É a voz da experiência:                  Deixe estar!

13.A-07 M46613 M31 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

A suja da Maggie Mae                     foi embora e abriu um berreiro
E ela nunca mais apareceu                aqui pelo Limoeiro
O juiz achou a culpada                   “Roubou porque estava esgotada”
Aquela suja assaltantezinha              da Maggie Mae
É nesta parte de Liverpool               que me trancafiaram
Dez libras por semana                    É assim que pago

13.B-01 3570U 53N71ND0 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Estou sentindo               algo dentro de mim
Ah, é!
Estou sentindo               não tenho mais como esconder
Oh, não!

Em mim acredite              é ruim perder o trem
Ah, é, só é!
Com você longe               isso não vai mais acontecer
Ah, não, Oh não, Ah não

Todo mundo já teve um ano ruim
Todo mundo já se divertiu o bastante
Todo mundo tem sonho erótico
Todo mundo já viu a Sol nascer
Ah, é! Ah, é! Ah, é sim!

Todo mundo já teve um ano bom
Todo mundo tem o cabelo pra baixo
Todo mundo sempre arranca as meias
Todo mundo tem o pé lá embaixo
Ah, é!

13.B-02 UM4 D3P015 D4 N0V3N74 3 N0V3 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Meu bem diz que só viaja naquela depois da Noventa e Nove
É pro meu bem vir junto, eu só ando nessa linha
Disse “se mexa!” uma, “se mexa!” duas
Meu amor não tem um coração de gelo
Eu sempre viajo em uma depois da Noventa e Nove

Rezei pra ela não partir, pedi isso ajoelhando
Você só me engana, você só engana a mim
Disse “se mexa!” uma, “se mexa!” duas
Meu amor não pode ser de gelo
Eu sempre viajo em uma depois da Noventa e Nove

[   Fiz minhas malas, corri pra estação
[   Me disse o bilheteiro, “essa não é a direção”
[   Desfiz minhas malas, corri pra o lar
[   Foi lá que eu descobri, ela pegou o meu irmão!

13.B-03 357R4D4 P3RD1D4 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

A estrada nunca tem fim
Só dá voltas até sua casa
Ela nunca que vai sumir
Já a conheço de outras jornadas
Ela me traz sempre até aqui
A porta da sua casa

A noite uiva e briga
Vem a chuva e a leva embora
Encheu de lágrimas a piscina
Saudades daquele dia
Não me deixe aqui, menina
Mostre-me uma maneira

r.
[   Quantas vezes fiquei sozinho e quantas eu chorei
[   Mesmo assim não quer saber o quanto eu te tentei

E ainda sempre me perco
Pra voltar  à estrada sem fim
Você me deixou largado aqui
Há muito muito tempo atrás
E agora me traz sempre até aqui
A porta da sua casa

Ainda sempre me perco pra voltar
À estrada sem fim
Você me deixou no esquecimento
Há muito muito tempo atrás
E agora não me deixa mais
visitá-la nem ir à sua casa

13.B-04 P4R4 O T3U LUNDÚ (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de George Harrison, direitos protegidos por Harrisong Infinite)

Porque és gentil e meiga
Te amo
Porque és gentil e meiga, gata, é sim,
Te amo mais que nunca, garota, te amo

Te quero de manhã, gata
Te amo
Te quero em cada instante que estou só
Vivo cada instante, garota, pra ti

Desde o instante em que te vi
Te amei
Só o que você fez foi olhar para mim
Te amo agora, será que você também?

13.B-05 T3 L3V3 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Jojo era um cara        que achava que era
mas no fundo            não era não
Jojo saiu de casa       foi pra Califórnia
Foi pra                 plantar camarão

De leve           Te leve
De leve pra não insultar aos irmãos

Doce Lorena Martinica        nas cuíca
Lorennão era                 mulher
Juram que a viram            usando cinta-liga
Vai levar                    até quando der

Disco XII {(1969)} Abbey road \\|// Rua Abbey

disco 12. Rua Abbey
26 de Setembro de 1969

 

12.A-01 CH364 JUN70 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Vem lá aquele velhote, ele ginga bem devagar, ele
toca corneta ele não largou a chupeta, ele
tem o cabelo até os joelhos
[   Se acha o coringa só faz o que lhe traz bem

Não tem sapato, ele tem toe jam futebol, ele tem
dedo de macaco, ele chuta coca cola e me diz
“sei de você, sabe de mim”
[   Eu sempre repito a gente tem que ser livre

r.

[ Chega junto!
[ Vem cá!
[ Vem comigo!

Compra no atacado, ele só usa pele de morsa, ele tem
capô de fusca, ele é anda com capacete, ele tem
os pés pra baixo dos joelhos
Senta em sua cadeira pra doença o remoer

Roleta russa, ele gosta pavio curto, ele tem
água barrenta, ele é mojo filtra, ele diz
“Um e um e um é três”
Tem que estar bonito, a coisa é ruim de se ver

 

12.A-02 AQU3L3 4L60 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de George Harrison, direitos protegidos por Harrisongs Infinite)

Aquele algo o jeito de mexer
Me atrai igual ao de nenhuma outra amante
Aquele algo o jeito de me ver
[ Não vou mais deixá-la ir embora
[ Já sabe acredito agora

Aquele lá do sorriso dela quando vê
Que eu não preciso de nenhum outro amor
Aquele algo o jeito de mostrar
[

r.
Você quer saber se vou te amar?
Eu sei lá! Eu não sei!
Para descobrir vamos ficar
Eu sei lá! Eu não sei!

Aquele jeito de mostrar que ela sabe
E só o que faço é pensar nela
Aquele jeito que só ela me tem
[

 

12.A-03 M4R73L1NH0 D0UR4D0 D0 M4X (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Joana era meio tísica estuda parafísica
E ciências no porão de casa.
Até bem tarde da noite só de tubos nas mãos

Maxwell Edison formando de medicina
Pra ela liga e pergunta “então?
“Vamos dar um rolê, ó Joana, tá passando um cinemão!”
[ Ela está quase pronta pra ir
[ E uma batida vem lá da porta

r.
Bang bang martelinho dourado do Max
Varou uma cabeça
Bang bang martelo d’ouro do Max
Esse daí, mais um que já era

De volta a mais um dia de aula Maxwell nunca dá guela
E aos professores nunca dá trégua
Pra evitar embaraços, o Maxwell encarou detenção

Daí um professor lhe diz, “Quando soar o sino
o Max não vai embora!
Você vai ficar aqui pra me escrever todo o mal do teu coração.”
[ Foi só o mestre lhe dar as costas,
[ O pupilo lhe bateu de lado

O carro da 31 pegou mais um rato que encurralou
E o Max em julgamento:
Lá ele só fala das coisas às quais diz que não lembra se ele fez

A Rose e a Valerie gritavam para se fazerem ouvir
Deixem o Max sair (((deixem ele sair)))
Mas o juiz não aprova, e ele só diz: “Vocês!, fora daqui!”
[ O Meritíssimo fez-se pronunciar
[ Vem lá mais uma pancada!

 

12.A-04 M1NH4 P3QU3N4 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Minha pequena acredite
Nunca lhe farei mal algum
Acredite se te digo
Nunca lhe farei mal nenhum

Minha pequena se me deixar
Nunca vou dar conta sozinho
Acredite se agradeço
Nunca me deixe tão sozinho

[ Quando disse que não precisava mais de mim
[ Você se lembra, eu me quebrei e passei mal
[ Você me disse que não precisava mais de mim
[ Eu mais que me quebrei, quase passei dessa pra melhor

 

12.A-05 O J4RD1M D05 73N74CULÓ1D35 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de Ringo Starr, direitos protegidos por STARLING)

Queria morar abaixo do mar
No jardim dos tentaculóides bem na sombra
Ele quem convida a ouvir música
É o jardim dos tentaculóides ali na sombra
[ Ia chamar todo mundo que conheço
[ A visitar os tentaculóides

Lá é aconchegante sem tempo ruim
É um esconderijo não é uma cisterna
Tem colchões d’água, dá pra dormir legal
O jardim dos tentaculóides é uma caverna
[ É onde se canta e dança com vontade
[ Dentro da água não anda a maldade

A gente ia gritar e até nadar
Ver como vivem os corais embaixo do mar
É uma alegria para cada um de nós
Saber que a vida marinha sabe o que faz
[ Dá pra viver muito bem e muito feliz
[ Ninguém diz a ninguém o que fazer

r.
Queria morar abaixo do mar
No jardim dos tentaculóides eu e você

 

12.A-06 T3 QU13R0 (3L4 É TÃ0 P354D4) (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Te quiero
Te quiero pacas
Que me faz passar mal
Me faz passar mal
[   Ela é leve
[   Leve, leve, leve

 

12.B-01 LÁ V3M 4 50L (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de George Harrison, direitos protegidos por Harrisongs Infinite)

r.
Lá vem a Sol
Vem lá a Sol e daí
Fica bem

Meu benzinho o inverno aqui é ainda mais frio sozinho
Meu benzinho parece séculos sem saber de ti

Minha benzinho o meu inverno também me traz sorrisos
Minha benzinho parece séculos sem ouvir de ti

[ Sol, Sol, Sol, lá vem ela

Meu benzinho a chuva aqui ainda vai nos molhar muito
Meu benzinho não passa o tempo se não te vejo

 

12.B-02 P0RQUÊ (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Porque o mundo dá voltas
Isso me faz bem
Porque o mundo dá voltas…

Porque a brisa é braba
Me breca a mente
Porque a brisa é braba…

[ O velho é amor, o amor é novo
[ O tudo é amor, o amor é teu

Porque o céu é azul
Eu choro muito
Porque o céu é azul…

 

12.B-03 NUNC4 M3 DÊ 7U4 6R4N4 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Nunca me dê tua grana
De você quero papéis sem graça
E bem no meio da negociata, você desata
Nunca te dou meu número
A você te dou só minha situação
e bem no meio da investigação, eu desato
[ Fora d’aula, vazou a grana
[ Nenhum futuro, nenhum aluguel
[ Toda grana vazou, lugar nenhum pra ir
[ Não tem feitor que leva a sacola
[ Segunda-feira, de manhãzinha
[ A preocupação matura
[ Nenhum lugar pra ir

[ Olha a sensação mágica
[ De não ter lugar pra ir
[ Esta sensação mágica
[ Nenhum lugar pra ir
[ Não ter lugar pra ir, não!

[ É só sonhar
[ Faça suas malas, vamos pra limosine
[ Logo vamos embora daqui
[ Aperte esse gás e manda a tristeza embora
[ É só sonhar e viver o hoje
[ E viver o hoje
[ Já virou sim

Dois três quatro cinco meia sete oito
As crianças e os deuses todos gostam de biscoitos

 

12.B-04 R31 50L (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Lá vem a Rei Sol
Vem lá a Sol Rei

Todo mundo dorme
Todos é só ser feliz
Lá vem a Sol Rei

Quando paramucho mi amore de felice carathon
Mundo paparazzi mi amore cicce verdi parasol
Questo abrigado tanta mucho que canite caroussel

 

12.B-05 M3N1N0 M357R3 M0574RD4 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Menino mestre Mostarda dorme numa carroça
caga no escuro, não quer gastar as lâmpadas
Armou um cercado na Bandeirantes
Faz poupança para comprar um Armani
Passa gel na sua monosselha
[ É assim miserável!
[ Velhote safado!

É dele a irmã Pam que malha todo dia
Trampa os três turnos, ela corre atrás!
De passeio para bisbilhotar a coroa
O único rolê que ele suporta
E sempre sai de lá blasfemando
[

 

12.B-06 P0LYTH3N3 P4M (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Todo mundo tinha que conhecer a Pam
Ela é bonitona mas parece meu irmão
É de ver ela trampando, a drag polythene mag
Você vai conhecer a Polythene Pam!

Tomar uma dose dela de kilt e botinão
Ela fica demais se souber onde por as mãos
É aquele tipo de mulher que te faz ser o que você é
Dá pra dizer que quer apresentar à sua mãe!

 

12.B-07 3L4 3N7R0U P3L05 V17R4L D0 84NH31R0 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Ela entrou pelos vitral do banheiro
Nascida em um berço de ouro
Me mostrou o médio e foi embora
Navegar nas próprias marés
[ Será que ninguém lhe disse?
[ Ninguém mesmo a viu?
[ Segunda ligação para Terça
[ Quinta ligação pra mim

Disse que sempre foi bailarina
Trampava uma pá de lugar por dia
Jurava de pé junto que sabia de tudo
Eu só sabia o que não lhe diria

Saí da sala do delegado
Fui e encontrei um trabalho pra mim
Me lembro dela, ela só me queria o bem pra todos
Mestre em furtar, mas no roubo uma mirim

 

12.B-08 C4M8R4145 D’0UR0 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Era uma vez voltando para casa
Era uma vez de volta ao lar
Durma queridinha não chores mais
Fiz para você uma de ninar
[ Cambraias de ouro adentram a vista
[ Sorrisos revém quando tu piscas
[ Durma minha querida, não chores mais
[ Fiz para você uma de ninar

 

12.B-09 A6U3N74R 4 PR3SSÃ0 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Irmão, tú vai levar essa pressão
Tem que aguentar a pressão
Ainda um tempão

Nunca te dou meu colo
Te falo apenas das minhas vontades
E bem no meio das efemeridades
Você desata

 

12.B-10 AO F1N4L (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Ah é
Já é
Será que eu vou sonhar com você hoje?
E ao final
O amor que vai
É igual ao amor que fez

 

12.B-11 4 R34L M4J3574D3 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

A Majestade é mesmo bonitinha
Mas parece que não tem nada a dizer
A Majestade é mesmo bonitinha
Sua opinião muda da vinho para a água
[ Ainda vou lhe mostrar como eu A amo demais
[ Não é preciso tanto assim de alcool
[ A Majestade é mesmo muito bonitinha
[ Talvez algum dia ainda seja minha, ah, é,
[ Talvez ainda seja minha

dylanniversário, uma tradução: Highway 61 revisited \\|// Bê Érre 101 revisitada (30 de Agosto de 1965)

mais um dylanniversário, minha boa pova & meu sagrado povo: Highway 61 revisited, no agitado ano de 1965 – 20 dias antes,  tinha chegado às prateleiras mais um dos Brittos!

quanta loucura!!

 

=)

 

Highway 61 revisited \\|// Bê Érre 101 revisitada

30 de Agosto de 1965

notas de rodapé:

No trem devagar o tempo não interfere & na cruzada Arábe espera Pilha Branca, o homem do jornal & ao seu lado a centena de Inevitáveis feitos de sólidas pedra & rocha — o Juiz Creme & o Palhaço — a casinha de bonecas em que Selvagem Rosè & Fixável moram humildes em sua selvagem e maliciosa natureza . . . . Autono, que tem dois zeros acima das fuças e argumenta acerca do sol estar escuro ou ser Bach tão famoso quanto seu distúrbio & que é ela mesmo — e não Orfeu — a poeta lógica “Eu sou a poeta lógica” ela gritava “Primavera? A Primavera é só o começo!” ela tentava deixar o Juiz Creme com inveja contando a ele sobre o povo que mora debaixo-da-terra & enquanto o universo explodia, ela apontava para o trem devagar & rezava para que a chuva e o tempo interferissem — ela não está tão gorda assim mas sim progressivamente infeliz. . . .a centena de Inevitáveis esconde suas previsões & vão para os bares & bebem & ficam bebassos de sua maneira particularmente especial & quando tom dooley, o tipo de gente que você se lembra de já ter visto antes, chega do rolê com Pilha Branca, a centena de Inevitáveis só diz “quem é esse cara branco por demais?” & o garçom, um menino bom & um outro que sempre mantém os brios à flor da pele, dizem, “eu posso estar errado, mas é certeza que já ví o outro camarada n’algum outro lugar” & quando Paulo Sargento, homem de gostos simples de lá da Rua 4, aparece às três da manhã & prende todo mundo por estarmos todos sendo incríveis, ninguém ficou brabo de verdade – – foi só até o mínimo de anafalbetismo que a maioria das pessoas chega & Roma, um da centena de Inevitáveis segreda “eu te avisei” a Madama João . . . . Selvagem Rosè & Fixável assopram beijocas corajosas em direção ao Hexagrama Jade da 25 de Março & para todos as jovens incógnitas & o Juiz Creme escreve um livro sobre o puro significado de uma pêra — ano passado, foi um sobre os ilustres cachorros da guerra civil & agora ele tem dentes falsos & nenhum filho. . . . quando o Creme conheceu Selvagem Rosè & Fixável, ele lhes foi apresentado por ninguém menos que Futilidade — Futilidade é o Grande Inimigo & sempre usa um protetor nos quadris — ele é muito dos protetores de quadris . . . . Futilidade disse quando apresentava o pessoal “vá e salve o mundo” & “envolvimento! esta é a questão!” & coisas assim & Selvagem Rosè piscou para Fixável & o Creme com o braço numa tipóia foi embora, cantando “summertime & the linvin is easy” . . . . o Palhaço aparece – – veste com uma mordaça a boca de Autono dizendo “existem dois tipos de gente – – as simples & as normais” isto normalmente extraía grandes risadas dos buracos na areia & Pilha Branca espirrava — desmaiava & rasgava a mordaça de Autono & diz “Que conversa é essa que você é Autono e que sem você não haveria a primavera! sua tola! sem a primavera, você não existiria! o que você achou desta?” e daí Selvagem Rosè & Fixável vêm também & chutam seus miolos & pintam-no de rosa por ser um filósofo de mentirinha –- e daí o Palhaço vem também, gritava “Seu filósofo de mentirinha” & pulava sobre a sua cabeça — Paulo Sargento surge mais uma vez vestindo roupa de árbitro & algum moleque da escola que já leu tudo do Nietzsche surge & diz “Nietzsche nunca vestiu roupas de árbitro” & Paulo diz “Quer comprar umas roupas, meninão?” & então Roma & João saem do bar & vão até Osasco . . . . hoje cantamos sobre a GANGUE DO ARRASTÃO — a GANGUE DO ARRASTÃO compra, é dona & opera a Fábrica da Insanidade — quem não sabe aonde está a Fábrica da Insanidade, deve, por causa disto, dar dois passos para a direita, pintar os dentes & ir dormir . . . . as músicas neste disco em particular não são exatamente músicas, mas, ao invés disto, exercícios de respiração para controle tonal. . . . o assunto importa — e por mais insignificante que seja — tem alguma coisa a ver com os belíssimos estranhos. . . . os belíssimos estranhos, a jaqueta verde de Vivaldi & o santíssimo trem devagar.

você está certo john cohen — quazimodo acertou — mozart acertou . . . não consigo mais dizer a palavra olho. . . . quando falo esta palavra olho, é como se falasse do olho de alguém que vagamente me recordo. . . . não existe olho algum — existe apenas várias bocas — vida longa às bocas — o seu telhado — se ainda não percebeu — foi demolido. . . . o olho é um plasma & você acertou sobre esta também — você tem sorte — você não tem que pensar sobre coisas tais como olhos & telhados & quazimodo.

 

 

 

 

 

 

Bob Dylan – guitarra, gaita, piano e viatura da polícia
Michael Bloomfield – guitarra
Alan Kooper – órgão e piano
Paul Griffin – piano e órgão
Bobby Gregg – bateria
Harvey Goldstein – baixo
Charles McCoy – guitarra
Frank Owens – piano
Russ Savakus – baixo

 

02-01. Igual a um Rolling Stone

Há muito muito tempo atrás você era até bem vestido

Sobrava até para os pinga, você era a alta, não era não?

Pessoas ligando, “vai, veja bem meu bem, olha o degrau aí Vê se não vai cair”

Você achava que era tudo sacanagem

Você gostava de rir de tudo

De todo mundo estando só curtindo

Agora você já não fala mais tão alto

Agora você já não é mais um birradinho

Sobre ter que ralar muito

Pra poder ter um rango

Como é pra você

Como é você ser

Estar sem nada de lar

Com nenhum amigo teu

Igual a uma pedra a rolar

Você fez certinho as melhores escolinhas, legal!, Senhorita Caretinha

Mas você sabe que lá você só conseguiu se estrepar

E ninguém nunca te ensinou como sobreviver das ruas

E agora você vai ter que se acostumar

Você diz nunca ter se comprometido

Com o bebum misterioso e só agora que você percebeu

Ele não te fornece nenhum desses tais alibis

Vê-se no vazio de seus olhos

E lhe diz e aí nós vamos fechar negócio?

Como é pra você

COmo é você ser

Ter só você pra mandar

Não saber qual o lugar do lar

Com nenhum amigo teu

Igual a uma pedra a rolar

Você nunca se virou para olhar as caras feias dos fanfarrões e dos palhaços

QUando todos vinham trucar pra ti

Nunca te desceu pela cabeça que isso não era nada bom

Não se deve deixar as outras pessoas chutar seus tiros no seu lugar

Você cavalgava seu cavalo de cromo com sua diplomata

Ela carregando no ombro um gato chinês siamês

Eu sei que é bem ruim quando se descobre assim

Ele nunca estava onde deveris estar

Depois de levar tudo o que se tinha aqui pra roubar

:||

A princesa no pedestal e todas as pessoas bonitas

Todos bebendo e pensando que elas todas tiveram sucesso

Trocando entre si preciosas lembranças

Melhor levar este anel de diamantes, é melhor o empenhar, neném

Você ficava tão inspiradão

Vendo Napoleão em trapos e o seu palavreado

Volte-se a ele, ele já te chama, não o vá esquecer

Quando se tem nada, não vai conseguir perder // só tem nada a perder

Você é invisível agora, sem nenhum mais feitiço a conjurar

:||

02-02.

Lundú de Tômsbistúne

As criaturas bonitinhas já estão na cama e dormem bem

Os padres da cidade eles tentam defender

A reencarnação da montaria do mensageiro

Mas a cidade não precisa exaltar is nervos

A fantasma de Bele STar ela desistiu de ter humor

E para Jezebel, a freira, que tricoteia com violência

Uma peruca de careca para Jack o estripador que senta

de cabeça em toda a Câmara do Comércio

Mãe está na fábrica ela está descalça

Pai está no beco ele procura o pavio

Eu estou na cozinha, ouvindo o Tombstone blues

A noivinha histérica joga o caça-níqueis

Ela grita e murmura “acabei de fazer”

Daí chama pelo médico, ele só descalça os óculos

E diz, “Meu conselho é melhor deixar as crianças para fora”

Chegou agora o curandeiro, ele se arrastou para dentro

Ele tem um auê de garbo, e diz para a noiva

“Pare todas suas lágrimas, engula o seu orgulho

Você não vai morrer, isto não é veneno”

:||

Tem um João Baptista, que depois de torturar meliantes

Encarou bem seu herói, o Comandante que é o chefe

E diz, “O meu Grande herói, e por favor seja breve

Temos aqui algum buraco que me dê sumisso?”

O comandante, que é chefe, responde enquanto caça uma mosca

Dia “Morte a todos que só choram e esperneiam”

Deixa cair um barbelho e aponta para o céu

e diz, “O Sol não é amarelo, ele é um frango!”.

:||

O rei dos Filisteus tem soldados para salvar

Põe maxilares em seus túmulos, nivela as covas

Põe os flautistas malhados nas prisões e engorda os escravos

E manda todo mundo para as selvas

Davey o cigano com um lampião tocou fogo nos campos

Ele e seu escraco crente Pedro ao lado ele vagueia

Com uma fantástica coleção de selos

Para ganhar amigos einfluenciar ao seu tio.

:||

A geometria do sangue inocente escorre pelos ossos

Faz com que o livro de aritmética deGalileu seja arremessado

Em Dalila, sentada inútil e à toa

Essa lágrimas em suas bochechas são de risada

Quem dera eu desse agora ao irmão Willa sua grande pilha

Acorrentál-o nas correntes bem no alto de uma montanha

Presenteá-lo com alguns pilares e o velho Cecil B e Mille

Por mim, ele que morrese para todo o sempre.

:||

Onde Ma Reiney e Beethoven já deitaram acampamento

Tocadores de tuba agora ensaiam envolvidos por bandeiras

E o Banco Mundial se tiver lucro troca mapas por almas

Mas somente para os fundadores da cidade e para a escola

Quem dera pudesse escrever agora uma música certinha

Para impedir a você, linda dama, de enlouquecer

Pra te tranquilizar e te acalmar, parar com o seu pânico

De deter todos este conhecimento inútil e sem sentido.

02-03

É preciso muito para sorrir, é só preciso um trem para chorar

Eu ando no furgão das cartas, neném

Não compro nem um arrepio

Fiquei de pé a noite inteira

Segurando o peitoril

Mas vai que eu morro lá no alto, longe daqui?

Mesmo se eu não der um jeito

Já sabe, meu neném faz sim

Viu como a Lua está bonita, mãe,

Brilhando por dentro dos galhos?

Viu que motorista bonito, mãe,

mostrando lá os “duplo E”?

Viu como o Sol está bonito

Desce espelhando todas essas águas?

Viu só minha mulher, ela é linda

Correndo atrás de mim?

Agora que o Inverno chega

As janelas se enchem de muito frio

Tentei a todo mundo avisar

Não tive como andar

Eu só quero amar você, neném,

Não quero ser seu dono, não!

Não vem agora reclamar

Só porque seu trem cruza outros mares.

02-04

De um Buick6

Eu conheço essa mulher do cemitério, já viu que ela pastora meus filhos todos

Mas minha mãe de alma, já viu que ela me guarda bem escondido

Ela é o anjo da guarda do lixão e ela sempre me dá pão

|E quando eu acabar morrendo

|já viu que ela dá seus pulos

|pra vir cobrir o meu colchão

Quando o fio da meada se perde e se está sozinho na ponte sobre o rio

Se está chumbado no alto da pista ou nas margens do correguinho

Ela desce toda a estrada, sempre pronta para nos costurar com linha de coser

:||

Ela não me deixa nervoso, ela não é nada tagarela

Ela anda igual a Bo Diddley, e ela nem precisa de muletas

Ela tem uma ponto 41 carregada com muita experiência

:||

Eu preciso de mulher igual a uma pá a gás para os mortos afastar

Eu preciso de uma caçamba de entulhos para minha cabeça jogar

Ela me traz isso tudo e muito mais, e as coisas são como eu já disse antes.

02-04

Ballada de um magro homem

Você entrou no quarto

Segura um lápis nas mãos

Você viu alguém pelado e diz,

“quem será o irmão”

Você já tentou muito mas

não entendeu nada não

O que se vai dizer lá pra patroa?

Porque alguma coisa acontece aqui

E vocẽ não sabe bem o que é

Sabe, senhor Jones?

Você levantou a cabeça

Pergunta “É aqui que é aqui?”

Mais alguém aponta pra você e diz,

“É dele ali”

E você “Bem, qual o meu?” e ainda um outro alguém

“Então, e aí?”

E você, “Ó meu Deus, será que sou eu só?”

Mas alguma coisa acontece aqui

E você não sabe bem o que é

Sabe, senhor Jones?

Vocẽ entregou a entrada

E foi ver a aberração

Que imediatamente anda até vocẽ ele

Ouviu sua respiração

E te diz, “como é pra você ser

Assim tão esquisitão?”

E vocẽ, “impossível!” Ele te estende um ossão

E alguma coisa acontece aqui

E você não sabe bem o que é

Será que sabe, senhor Jones?

Você tem muitos fornecedores

Entre os tais dos lenhadores

Pra lhe dizer verdades quando

agridem a sua imaginação

Mas ninguém quer mais nada, não!

Todos eles só querem saber se

Vocẽ já assinou o cheque Doou toda a renda Pra organização

Vocẽ esteve com os estudados e

Todos curtiram teu perfil

Com grande advogados sobre a lepra e o escorbuto

Você discutiu

Você já leu tudo do Éf Scott FitzGERALDÔ

Você é muito bem lido, sabe-se bem disso

Mas alguma coisa acontece aqui…

Sabe o engole-espadas, ele

Vem até você e se ajoelha.

Se faz o sinal da cruz e

Bem alto tamaqueia

E sem ninguém mais notar te pergunta

“Como vai você?

“Toma tua garganta agradeço o uso”

Você já sabe que alguma coisa acontece aqui…

Você viu o anão de um olho

Ele grita a palavra “tão!”

E você, “Pra que isso?”

Ele diz, “Vão!”

E você, qual o sentido [de tudo] isso?”

Ele grita “volta você é uma vaca!

Dê-me um leite ou volte pra casa!”

E já sabe que alguma coisa acontece aqui…

Você entrou no quarto

Igual a um camelo se jogou no chão

Guardou os olhos no bolso, e

Deixou o nariz no porão

Deve tar alguma coisa que

Não te deixa aparecer, não!

A gente tinha que usar um rádio bem no meio das fuças

Porque alguma coisa está acontecendo aqui, mas

Você não sabe bem, o que é

Será que sabe, senhor Jones?

02-06

Nobre Jane aproximadamente

Assim que sua mãe me devolveu todos seus convites

E o seu pai pra sua irmã assim ele explicou

Você cansou de si mesma e de todas as suas criações

Não vais vir me ver, nobre Jane?

Por que não vem me ver, rainha Jane?

Agora que todas as floristas querem de volta o que lhe emrpestaram

E que o cheiro de suas flores não mais lhe retém

E que todos os seus filhos só lhe repudiam

Não vais vir me ver, nobre Jone?

Por que não vem me ver, rainha Jane?

Agora que todos os palhaços que você nomeu

Ele morreram em luta ou em vão

E você está de saco com toda essa repetição

:||

Assim que seus patrocinadores agoitam o plástico

Até seus pés pra te convencer de sua dor

Tentam provar que suas conclusões podem ser mais drásticas

:||

Agora que todos os bandidod pra quem virou a outra face

Todos despiram suas máscaras e lamentos

E você só quer alguém com quem não tem que falar

:||

02-07

Bê Érre 101 revisitada

Disse Deus a Abrahão: “mate-me um dos seus”

Abra disse, “Deus, você deve me achar com cara de filisteu”

Deus disse, Não”. Abra disse, “O quê?”

Deus disse” Olha, Abra, faça o que vocẽ querer mas da próxima vez que me ver é melhor correr!”

E aí Abra disse, “Aonde é pra ser essa tal matança?”

Deus disse, “Lá pra frente, no meio da BR 101”.

Tinha o Georgia Sam de nariz que sangrava

Assistencia social nunca nem lhe dava banho

Pediu ao pobre Lombardi se tinha aqui um lugar pra se ir

Lombardi disse, “só tem um lugar que eu sei aui”

Sam disse, “Logo meu eu tenho que ir!”

O velho Lomba só apontou com o berro

e disse “é por aqui, lá para baixo da BR 101”

Tinha o Mack Dedo Duro, ele disse ao Luis, um dos Reis

“Eu tenho 41 cadarços, todos vermelhos brancos e azuis

e quase uns mil telefones que não faem barulho

Será que o senhor imagina como me livro de tudo isso?”

E Luis, um dos reis, disse, “Aguarde, meu filho, deixe-me pensar por um momento”

E daí ele disse, “Sim, eu acho que vai ser bem facinho,

é só levar tudinho lá para baixo da BR 101”.

Uma destas 5as. Filhas, que na 10a. Noite

disse ao Bispado que as coisas não eram corretas

“A minha epiderme”, ele disse, “é branca por demais”

Ele disse, “Venha para cá e deixe-me vê-la na luz”. Ele disse, “É, você está bem certa,

deixe-me aletar as freiras de que isso é assim”

Mas a freira do dia estava com o 7o. Filho

E os dois estavam lá para frente, no meio da BR 101.

Um destes apostadores itinerantes estava muito aborrecido

Ele estava bem perto de conseguir uma Nova Grande Guerra

Ele encontrou um promotor que, mal tombou o chão

lhe fez pensar que nunca tinha enfrentado coisa dessas.

Mas sim, eu achoque vai ser bem facinho,

grudamos as sangue-sugas pelo caminho e

levamos tudo lá para baixo, na BR 101.

02-08

Igualzinho ao banzo de Dom Dedão

Se você se perder na chuva de Juarez

E também for tempos de festividades

E a sua gravidade falhar

E a negatividade não te deixar ir em frente

Não respire nenhum dos ares

se estiver na avenida e rua do necrotério

Guardamos lás amulheres famintas

e eles vão te deixar em pedaços

Se você vir Santa Annie

Diga a ela que lhe sou muito grato

Ainda não me mexo

Meus dedos estão todos amarrotados

Ainda me falta a força

Para levantar e tomar uma outra dessas

O meu melhor amigo é meu médico

E ele não vai me dizer o que é isso que peguei

Doce Melinda

os pedintes a chamar Deusa do Glume

Ela fala muito bem o inglês

E te convida para entrar em casa.

E voê vai se esforçar

E tomar cuidado para não ir cedo demais até ela

Ela acredita em suavez

E te deixa sozinho a uivar para a Lua

Na montanha do Projeto Habitar

É o caso de ter ou não ter Fortuna nem Fama.

É preciso escolher um ou outro

Mesmo que nenhum seja o que diz ser

Se você vai tentar sair limpo dessa

É melhor voltar de aonde vocẽ veio

Porque polícia alguma precisa de vocẽ.

E eles também esperam que você parta.

Agora todas as autoridades

Estão se exibindo e se orgulhando de si

De como chantagearam o Sargento e as Armas

Até que deixassem seus postos

E de terem prendio o Anjo, que

Tinha acabado de chegar de seu vôo.

Ele parecia muito bem no começo

Mas foi embora parecendo um morto.

Eu comecei com a mendicância

E bem rápido cheguei ao fundo do poço.

Todos me diziam que sempre estariam juntos de mim

Quando o jogo ficasse pesado.

Mas a piada era sobre mim

Não tinha lá mais ninguém para ouvir ao meu blefe

Vou voltar para o Rio de Janeiro

Acredito muito que para mim já deu.

02-09

Caminho da desolação

Estão vendendo postais dos enforcados

Estão pintando os passaportes de marrom

Salões de beleza estão cheio de marinheiros

O circo está pelo bairro

Vem aí o encarregado cego

Deixaram o homem em um transe

Uma mão está amarrada ao passador de cabos

A outra segura suas calças

O esquadrão anti-terror nunca descansa

Sempre buscam algum lugar para ir

Enquanto a Mulher e eu ficamos bem longes

Do Caminho da Desolação

Cinderela, ela parece bem calma

“Maluco reconhece maluco”, ela sorri

Ela guarda as mãos nos bolso de trás,

Betty Davis, igual.

Então entra Romeu, urrando

“Você pertence a mim, acredito”

Um ou outro alguém diz, “Você está no lugar errado, amigão,

É bem melhor você sumir”.

O único som que ainda resta

Depois que a ambulância partiu

É o de Cinderela, que varre as ruas

Do Caminho da Desolação

Agora a Lua já quase se escondeu

E as estrelas começam a desaparecer

A moça que adivinha o futuro

Também já guardou suas coisas

Todo mundo menos Caim e Abel

E o Corcunda de Notre Dame

Todos estão fazendo amor

Ou então só esperando chover

E o Bom Samaritano, ele veste suas roupas

Ele se apronta para o show

Ele vai para o Carnaval da noite

No Caminho da Desolação

Agora Ofélia, ela está pertinhoda janela

Por ela é que tenho muito medo

Ainda no seu vigésimo segundo aniversário

Ela já é uma das criadas antigas

Para ela, morrer é bastante romântico

Ela usa um cinto de castidade

Sua profissão é sua fé

Seu pecado é não viver

E ainda que mantenha os olhos fixos

No grande arco-íris de Noé

Ela gasta um pouco de seu tempo espiando

O Caminho da Desolação.

Einstein, disfarçado de Robin Hood

Leva as memórias em um trunque

Passou por aqui bem agorinha há pouco

Ele e seu amigo, um monge ciumento

Ele estava branco de medo

Enquanto montava um cigano

Depois foi embora, saiu para cheirar os ralos

E recitar o abecedário.

Quem o vê, nem imagina mais

Ele já foi famoso há um tempo atrás

Porque tocava o violino amplificado

No caminho da Desolação

Doutor Sujo, ele guarda seu universo

Dentro de um copo de osso

Mas todas suas pacientes carentes

Tentam estragar a receita

Hoje sua enfermeira, uma perdedora local

É quem cuida do pote do cianeto

Ela também é a guardiã da placa de

“Tenha piedade desta alma”

Todos tocam flautas doces

Dá pra ouvir cada um dos assopros

Somente quando se leva bem longe a cabeça

Do Caminho da Desolação

Disco V {(1965)}: Help \\|// Acuda #thebeatlesemportugues

 

 

Disco 05: Help \\|// Acuda  (06 e Agosto de 1965)

 

 

05.A-01 4CUD4 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Socorro! Preciso de ajuda
Socorro! Não é qualquer ajuda
Socorro! É pra ajudar alguém Acuda!!

Quando era jovem, bem mais jovem do que sou
Nunca precisei de ajuda de nenhum tipo
Esses dias se acabaram, já não me resta socorro
finalmente abri minha mente, resolvi abrir as portas

Ajuda-me alguém, me sinto mal
Preciso de alguém me dar a mão
Ajuda-me alguém a achar o chão
Ninguém vai me socorrer?

Depois disso parece que mudei do vinho para a água
Minha independência é vaca em brejo da incontinência
E de vez em quando ou talvez sempre me sinto tão inseguro
Agora sei o que é precisar de alguém como nunca precisei antes

Socorro, acuda-me!

05.A-02 N4 NO173 D3 ON73M (transcriação de r.l. almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Nos dissemos adeus, foi na noite de ontem
Amor nos olhos teus, foi a noite de ontem
Agora é que percebo: você correu de medo!
Vamos ficar de novo que nem na noite de ontem

Para que vamos mentir? Isso foi na noite de ontem
Acredito em tudo, isso foi a noite de ontem
Você olha os meus gestos, te sinto tão sincera
Vamos ficar de novo que nem na noite de ontem

Da noite de ontem vou me lembrar sempre
Quando vejo o que vivemos me faz querer explodir

05.A-03 V0C3 73M QU3 35C0ND3R 0 4M0R N45 MÃ0S (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Cheguei aqui, coração nas mãos
O muro da lamentação
Se ela partir, acabou pra mim
Me pegou a solidão
Acabou o meu quinhão de paz
Para agora e todo o sempre
Duvidam do que sou capaz
Para mim, só me comentam:

Ei!, você tem que esconder o amor nas mãos
Ei!, é pra guardar o amor com as mãos

Será que devo me permitir
Eu também sei ganhar
Com toda essa pressão em mim,
Só vou conseguir falhar
A coragem dela em me dizer
O mistério é que o amor tem seus meios
Se juntem, gente, deixem-me ouvir
Conte-me os seus receios
05.A-04 PR3C150 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras e música de Georgie Harrison, direitos protegidos por Harrisongs Infinite)

você ainda vai entender o quanto de ti preciso
te amo o tempo todo e mão desisto
volte agora para mim
estou muito infeliz
preciso

você tentou dizer de vários jeitos
mesmo com todos sinais eu não me ligo
não pude acreditar no que
dizia o teu olhar
você disse

r1.
você me disse que estava devolvendo o meu amor
isso machuca, o amor não é assim algo que causa dor

r2.
quando disse, que estava devolvendo o meu amor
isso sufoca, o amor não é algo que está aí e causa dor

nunca se esqueça do meu amora vida sem você não tem nenhum valor
pode voltar para mim
se entendeu que te amo, sim
preciso
05.A-05 UM 0U7R0 4M0R (transcriação de r.l. almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Porque já achei um outro amor, um outro amor
Não me canso de dizer: minha vida é você
A partir de hoje, não vá esquecer que tenho um novo querer
Não sou nenhum otário e sei muito bem o que levo pra casa

Porque já achei um outro amor, um outro amor
A mais descolada de todas mulheres que já conheci
Ninguém neste mundo vai fazer o que ela sabe fazer
Por isso eu aviso, “Este é meu limite, e é melhor parar por aí!”

r.
Porque já achei um outro amor, um outro amor
Que vai me amar até o fim
Vamos provar do doce e do amargo
Vai estar sempre do meu lado

Não dá pra negar, com você nunca fui infeliz
A partir de hoje, não vá esquecer que tenho um novo querer
Não sou nenhum otário e sei muito bem o que levo pra casa

05.A-06 3574 MULH3R V0CÊ JÁ P3RDEU (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Você vai perder esta mulher
Esta mulher você já perdeu

Se não sair com ela hoje à noite
Ela vai mudar de idéia
Vou sair com ela hoje à noite
Eu sei lhe fazer bem

Se não lhe fizer bem, rapaz,
Vai perder esta mulher
Eu sei lhe fazer bem, e então
Ela vai querer ser só eu

Vou fazer tudo
Vou arrancá-la de você, te botar para correr
Do jeito que a trata
Ela não fez isso por merecer

05.A-07 81LH373 D0 4M0R (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

É hora de dizer adeus
É hoje o dia
A menininha se foi
Levou minha alegria

[ Ganhou o bilhete para andar
[ Ganhou o bilhete de amar
[ Ganhou o bilhete para andar
[ E ela não quer

Ela disse que morar comigo
Era igual na prisão
Sempre que eu estava perto
Era muita tensão

r.
Ela tem que se lembrar de quem é
Qual é o jogo?
Olha um pouco só pra mim
Não deixe ela largar do teu pé
Qual é o jogo?
Olha um pouco só pra mim
05.B-01 M1NH4 N47UR4L1D4D3 (versão r. l. almeida @846re, letras & música de Joni Mitchell)

Disseram que iam me colocar nuns filmes
Que fariam de mim estrela da noite para o dia
Tinham lá uma história de um cara triste e sozinho
Eles só precisavam usar minha naturalidade

r.
Aí tú já viu, vou ser um dos fita
Vai que ganho Oscar, não tem como antever
Os filme vai me fazer fita
Eu sou a melhor escolha pro papel

Eu queira que me visse em alguns dos meus filmes
Daí eu ia ter certeza de você ter entendido
Que já conheceu um grande panaca que é muito famoso
E eu só precisei usar minha naturalidade

Estávamos no filme, o tal cara triste e sozinho
Joelhos no chão, pedia por salvação
Me deram um personagem, me dispensaram dos ensaios
E só o que me pediram foi a minha naturalidade

05.B-02 1570 É 4M0R (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Eu paro quando te vejo andar
Ai, meu deus
Teu sorrir, dentro me faz voar
Camafeus
Por que tanta timidez se estamos juntos?

r.
Isto é amor, é isto o que é
Não vá culpar um sentimento
Isto é amor, é isto que é
Mas é ruim demais te amar assim
Porque é ruim demais te amar assim

será que é certo usarmos nossas noites
para brigar?
teu sorrir faz as noites brilhar
faz brilhar
será que algum dia vai me perdoar?

05. B-03 V0C3 60574 D3 M1M (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de George Harrison, direitos protegidos por Harrisongs Infinite)

Hoje cedo foi embora
Até a noite vai voltar
Vai dizer, “Acabaram as chances!”
Já se vai para nunca mais
[ Mas você não sabe o que é partir
[ Eu te amo e você gosta de mim

Você já tentou ir embora
E nunca chegou até o fim
Sair de casa, me passar para trás
Eu tive o que mereci
[ Mas você não sabe o que é partir
[ Eu te amo e você gosta de mim

r.
Eu te amo e ia ser bom se você se importasse
Não me deixe

Vou te seguir e te puxar
De volta ao que você é
Já sei onde errei e sem você
Não consigo mais viver
[ Nunca vou te deixar partir
[ Eu te amo e você gosta de mim
05.B-04 D164-M3 0 QU3 VÊ? (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Quando me der teu coração, eu vou te provar
Nada vai nos separar, sou parte de você
[ Pode abrir os olhos, diga-me o que vê
[ Não é nenhuma surpresa, sou eu o que vê

Densas nuvens vêm aí, o tempo nos atravessa
Em mim pode confiar, eu te alegro o dia
[ Pode olhar nos olhos, diga-me o que vê
[ Por que não percebeu, sou eu o que vê

r.
Diga-me o que vê

Dê-me só mais uma outra chance, tente me entender
Que entenda o que eu digo, eu quero você
[ Pode abrir os olhos, diga-me o que vê
[ Não é nenhuma surpresa, sou eu o que vê
05.B-05 4CH0 QU3 V1 UM4 4L6UÉM M3 0LH4R (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Acho que vi uma alguém me olhar
Sei bem o dia e o lugar
Em que nós conversamos
Ela é a mulher para mim
E o mundo tem que saber
Que nos conhecemos

Fosse de alguma outra maneira
E talvez eu nem
Tivesse te notado
Mas do jeito que aconteceu
Agora eu sei dizer
Com quem tenho sonhado

r.
Caio
Eu só caio
É assim que volto
Inteiro pra ela

Nunca conheci essas coisas
Vivia sozinho
E distante
E com a minhas outras amantes
Nunca passei por nada
Deste jeito antes
05.B-06 4N7164M3N73 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Antigamente
Meus problemas estavam no além-mar
Agora vieram todos pra ficar
Eu acredito no antigamente

De repente
Sobrou metade do que costumava ter
Tem um fantasma encarnado em mim
O antigamente chegou de repente

r.
Por que ela se foi
Eu sei lá, não quis dizer
Eu fiz algo ruim
Eu só espero o antigamente

Antigamente
O amor era um jogo fácil de ganhar
Hoje eu tenho onde me afugentar
Eu acredito no antigamente
05.B-07 M3 D31X4 70N70, D0N4 L0N7R4 (versão r.l.almeida @846r3, letras & música de Larry Willians)

Me deixa lerdo, dona Lizza
O jeito do teu róquenrou
Me deixa lerdo, dona Lizza
O jeito que dança um Strauss
Vem comigo, dona Lizza
Curtir o amor antes do fim da paixão

r1.
Vem comigo, me deixe com febre
Descansando a mãozinha na minha
Me deixa lerdo, leide Lizza
Você é um grande mulherão
Fica aí curtindo e dançando
Você tinha que ser só minha

Me deixa lerdo, dona Lizza
É o jeito que diz meu nome
Ah, neném!
Você me faz loucão
Vem cá, vem cá, vem ,minha menina
Tenho que ser sua paixão

r2.
Conte logo pra tua família
Que nós vamos casar
Conte para sua mãe e para o seu irmão
O plano não vai falhar
Me deixa lerdo, dona Lizza
Garota, nós vamos casar

Disco III {(1964)}: A hard day’s night \\|// A difícil noite de um dia #thebeatlesemportugues

          salve salve, minha trabalhadora & ectoplasmática bloguesfera nossa de cada dia. mais um artigo dedicado a aniversário de publicação de disco dos #TheBeatles aqui neste PíLuLaS De PéRoLaS LiTeRáRiAs que vos escreve, o seu canal de tradução em versão integral para português canarinho Herbert Richards sacodindo a poeira.

          o disco de hoje é o terceiro da banda – o primeiro com 100% composições autorais do quarteto – e o primeiro que ecoou nos quatro cantos deste planetinho nada quadrado, nem plano. “A hard day’s night” foi o primeiro disco que o mundo inteiro ouviu, & é o recorde de traduções para o português, todas no lado A: Wander Wildner fez uma versão para a faixa-título; Os Originais gravaram a faixa 03, “I should have known better”; Rita Lee arrisca sua versão para a faixa 04, “If I feel”; & Roberto Carlos arremata os corações das jovenzinhas com “And I love her”, faixa 05 do lado A. o conceito do disco envolvia a produção de um filme, filmado ao longo de 16 semanas entre Março/Abril daquele ano, lançado no Reino Unido quatro dias antes do disco, & era uma mistura de documentário com ficção, cobrindo 36 horas de vida do quarteto mais famoso grupo de música popular até aquele momento da História.

          no filme consta todo o lado A – talvez isso tenha favorecido a recepção & adaptação ao português das faixas deste lado do disco, às vezes em tentativas muito boas & imediatas (como a de Rita Lee & de Robertão, gravadas por aqui algumas semanas depois de aparecer), outras vezes em tentativas lamentáveis (os The Originals são os reis da comédia pastelão!); às vezes até demorou anos para chegar (como a competente, mas incompleta, versão de Wander Wildner). o filme mesmo funciona como uma desculpa para os rapazes de Liverpool pegarem seus instrumentos (ou, improvisarem com objetos de cena) & fazerem o que sabem melhor: entreter. a linha que conduz o filme é a de que os rapazes viraram prisioneiros de sua própria fama!

          no disco, começa a ficar evidente o talento dos compositores: pode ser que nem Ringo Starr ou George Harrison tenham contribuído com alguma letra, mas é o primeiro disco em que o grupo não empresta composições de nenhum outro autor.

          e agora sem maiores delongas, já posso lhes apresentar aquele muito nosso conhecido dooooooos irmãããããããos Briiiiiiiiitos,

Disco 03: A hard day’s night \\|// A difícil noite de um dia
Lançamento mundial pela EMI Studios em 10 de Julho de 1964

03.A-01 A difícil noite de um dia (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Eu trabalhei o dia inteiro e tô cansado para caralho
Eu me virei feito um cão mas tô saindo do trabalho
Vou dar um rolê na citèe beber um vinho no “Öxxxé”
Se é com você, então tudo bem

Eu trabalhei o dia inteiro
para a gente ter mais do que pão
O que faz valer é te ouvir dizer
que quer me dar mais do que a mão
Para que então reclamar?
Se está nós dois no sofá
E é só você
Então tudo bem

r.
É só lá em casa
Que tudo parece ficar bem
É só lá em casa
Que dá para apertar você bem forte
03.A-02 Não imaginava isso vindo de você (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Ow, ow, ow não imaginava isso vindo de você
Não tem maneira de não te querer
Só você ei, ei, ei Só você
Ow, ow, ow nunca imaginei que ia beijar você
Isso é muito bom A gente acontecer
Você já vê ei, ei, ei Você já vê

Eu já te disse que te amo
Você me ama e diz também
Naquela noite veio o beijo (ai! ai! ai!)
A gente está até hoje juntos

Ow, ow, ow já estava vendo antes disso acontecer
Se vai amar não precisa sofrer
Sem sofrer ei, ei, ei Sem sofrer
Ow, ow, ow nunca imaginei que ia beijar você
Isso é muito bom A gente acontecer
Você já vê ei, ei, ei Você já vê
03.A-03 Se me apaixonar (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Se me apaixonar por ti
Diz que vai olhar por mim
Ajudar na minha compreensão
Já amei uma outra vez
E achei que o amor é mais
Do que só estar com as mãos

Se quiser minha afeição
Desde o começo
Eu tenho que saber
Que vai gostar de mim somente

Se eu te esperar, amor!
Não finja que
Não me vê
O amor é fácil machucar

r.
Não cause magoação de ver
Que esse nosso novo amor foi em vão!

Já deu para entender que eu
Amaria te amar
A sua outra vai chorar
Quando ver que foi feito para mim

Se me apaixonar por ti
03.A-04 Para me contentar é só dançar com você (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Antes de a gente deixar este salão
Eu vou tentar de tudo para te amar muitão
Para me contentar é só dançar com você

Eu não beijo nem a tua mão
Me entende, chega aqui juntão
[ Não tem nada mais que eu queira fazer
[ Pra me contentar é só dançar com você

Eu não quero ter que te alugar
Temos a noite toda para bailar
[ Não tem nada mais que eu possa fazer
[ Para me contentar é só dançar com você

Quem tentar roubar você de mim
Joga fora o esforço até o fim
[ Não tem nada mais que eu possa fazer
[ Para me contentar é só dançar com você
03.A-05 Eu te amo (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Lhe dei o meu amor todo o que tinha
Te mostro o meu amor e me amaria
Eu te amo!

É meu o que ela tem igual ninguém
O beijo que meu amor traz quando vêm
Eu te amo!

r.
Um amor igual
Não vai mais ter
Vamos ficar
Bem juntinhos

Brilha a estrela no céu no escuro céu
Amor igual ao meu não morre mais
Eu te amo!
03.A-06 Me diz pra quê (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

r.
Me diz pra que vai chorar e tentar mentir pra mim
Me diz pra que vai chorar e tentar mentir pra mim

Tudo o que eu tinha virou teu
E você me deixou amargurado e só
Para que me tratar tão mal assim?
Me enforcar e chorar é só o que restou

Será que disse ou então fiz algo ruim?
Me diz por onde começo a me desculpar
Se você não está mais mesmo a fim
Já posso abrir a torneira e chorar

Eu já pedi para você me perdoar
Será que ainda pode me ouvir?
Diga se ainda pode me ouvir
Sem você não posso, não vou conseguir
03.A-07 O meu amor não tem preço (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Te dou um anel de diamantes
Se isso é o que você quer
Te arrumo o que é que for preciso
Seja lá o que você quiser
[ Não tô nem aí para a grana
[ O meu amor não tem preço

Te dou tudo o que for meu
É só dizer que me ama também
Neném não tenho tanta coisa assim
Mas o que for meu é seu também
[ Não tô nem aí para a grana
[ O meu amor não tem preço

r.
O meu amor você ganha é o que todo mundo diz
Meu amor não tem preço não não não não!

Você diz não querer riquezas
O que só me faz tranquilizar
Você diz que só tem interesse
No que a grana não vai comprar
[ Não tô nem aí para a grana
[ O meu amor não tem preço
03.B-01 Qualquer hora que for (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

r.
Qualquer hora que for, seja a hora que ser
Qualquer hora que for, já basta me ligar e eu chego aí

Se procura um alguém para amar
Basta me olhar nos olhos
Eu estou aqui para te fazer sentir bem

Se estiver deprimida e triste
Eu tento te entender
Não fique assim, é só ligar para mim

Se a Sol já se foi embora
Eu sei fazer brilhar
Por você sou capaz de tudo

Se procura um ombro para chorar
Pode ficar com o meu
É só me ligar e eu chego aí
03.B-02 Vou chorar por aí (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Tenho todos os motivos para ficar bravão
Consegui perder a mulher do meu coração
Se soubesse de um jeito
Iria hoje pra prisão
Mas não sei, vou chorar por aí

Tenho um osso no meu ombro maior que o pé
Todo mundo que conheço é mané
Se ouvisse o que tenho pra dizer
Eu só sei te fazer sofrer
Mas não sei, vou chorar por aí

r.
Não quero chorar, tenho pessoas em casa
Me sinto pressionado quando elas olham
Só quero me esconder, ei, ei, ei
Vou dar um jeito de voltar para você

Quando voltar é melhor trancar todas as meninas
Porque vou magoar cada uma delas no mundo todo
Sim, vou partir cada uma em duas,
Daí você vai ver o que seu namorado pode fazer
Até lá, vou chorar por aí
03.B-03 Como se diz {as coisas} por aqui (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Disse que me amaria
Mesmo quando longe
Em mim pensaria
Um jeito que ia sentir
[ Um dia, bem sozinho
[ Querendo estar bem perto de ti
[ Daí me lembraria
[ De como se diz as coisas por aqui

Ia só ser minha
Até o tempo-sem-fim
Por aqui a gente
Não acha isto assim
[ Um dia, no sonho
[ Apaixonados, nada por dizer
[ Daí me lembraria
[ De como se diz as coisas por aqui

r.
Eu, um cara de muita sorte
Amando você que diz que o amor é sorte
Podemos até estar cegos
Já basta saber que o amor passou por {mim}

Te fazer só minha
A minha garotinha
Me ame vida afora
Nós dois e o depois
[ Um dia, no sonho
[ Apaixonados, nada por dizer
[ Daí me lembraria
[ De como se diz as coisas por aqui
03.B-04 Chegando em casa (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

r1.
O, a
Eu tenho mais um monte de coisas para te dizer
Chegando em casa

Vai embora, suma da minha frente
Eu quero logo ver minha pequena
Para dizer aquilo tudo que pensava

Vai embora, suma logo
Não tenho mais tempo nenhum para as cerimônias
Tenho uma pequena me esperando chegar em casa

r2.
Assim que chegar em casa
Vou apertá-la e beijar também
Amar como se faz até de manhã cedo
E vou amar mais ainda assim que sair
Pela porta afora
Ir embora

Vai embora, me deixe passar
Tenho um monte de coisas ainda pra arrumar
Não tenho mais o que fazer, se ficarmos assim
Eu e você
03.B-05 Isto não se faz (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Ouça de mim um recado que vai te deixar mal
Se eu te pego conversando com aquele moleque mais uma vez
Eu vou te deixar mal
[ Vou embora para sempre
[ Eu já avisei que
[ Isto não se faz

Olha lá, te peguei conversando com ele mais uma vez
Como ainda não entendeu que isso é errado
Eu vou te deixar mal
[ Vou embora para sempre
[ Eu já avisei que
[ Isto não se faz

r.
Todos têm inveja
De mim por ter ganhado seu amor
Deixa eles saberem
Que você é assim, eu viro piada

Trate de me ouvir, se quiser ficar junto
Não sei me segurar, eu vou voar nele
Eu vou te deixar mal
[ Vou embora daqui para sempre
[ Eu já avisei que
[ Isto não se faz
03.B-06 Talvez voltar depois (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc.)

Já viu, magoou meu amor eu vou
Talvez voltar depois
Para ti eu já disse um outro adeus
Talvez voltar depois

Te amo muito
Sou eu que tanto te quer bem
Sim sou eu que tanto
Te quer bem, ah, o

Existem um milhão de coisas mais legais
Do que magoar meu amor de novo
Vem que desta vez vou te mostrar
Como já te esqueci

Eu achava que ia imaginar
Que mesmo se fugisse de você
Você ainda ia me querer
Mas eu sei como te surpreender, ah, o

disco-niversário, uma tradução: “Parabolicamará” \\|// “Satellite companion” (Janeiro de 1992)

          este artigo celebra o aniversário de Gilberto Gil, nome de escritor de Gilberto Passos Gil Moreira, nascido no vigésimo sexto dia de Junho do ano de 1946, na capital da Bahia. na música tupiniquim, Gil é a outra metade do inconsciente coletivo brasileño da virada das décadas de 1960 para 1970 – a outra metade logicamente significando Caê, seu meio-irmão de alma & percurso.
          filho primogênito do médico José Gil Moreira & da professora primária Claudina Passos Gil Moreira, neto de dona Lídia Moreira, a família vivia num ir & vir da capital para o interior, do bairro do Tororó para cidades como Ituaçú, resultado da procura do provedor por emprego.
          aos 9 anos de idade ganha o primeiro instrumento musical, um acordeão – a fabulosa sanfona de outros recantos. por muito tempo, sua principal influência popular foi Luiz Gonzaga, por achar assemelhado o Brasil que Luiz Gonzaga cantava protagonizando suas letras. aos 12 anos organiza “Os desafinados”, primeira reunião musical de amigos. por volta dos 13 anos já é apadrinhado no grupo de Dorival Caymmi & Jorge Amado, seguindo a correnteza lógica da música que vinha com as areias das Dunas & o marulhar do Oceano. em 1958 João Gilberto lança o paradigmático “Chega de saudade”: está marcada assim a santíssima trindade sob a qual Gil vai erigir sua obra.
          foi também em 1958 que Jorge Amado publicou o livro que o alçou ao mundo, “Gabriela cravo e canela”. em 1960, Gil adentra a Universidade Federal da Bahia, de onde sai com o diploma de bacharel em administração pública, em 1964. o diploma o leva para São Paulo, a capital-cinza, para trabalhar como estagiário de publicidade na Gessy-Lever, mas seus contatinhos de faculdade (tais como José Capinan, Rogério Duprat, o próprio Caê & o grupo Os Mutantes) insistem em levá-lo ao mundo musical.
          chega o Maio de 1967. Gilberto Gil publica “Louvação”, primeiro disco de longa-duração – saíram como divulgação em single as faixas “Procissão” & “Ensaio geral”. produção da Philips/RCA de João Neto, com arranjos de Dori Caymmi, Carlos Monteiro Souza, Bruno Ferreira, nas letras parceirando com Caê, Capinan, Torquato Neto, João Augusto, o disco traz 14 faixas em que o autor visita suas raízes nordestinas, o carnaval, o frevo&o baião, as baladas dos anos cinqoenta, a bossa nova, o samba. talvez o passo mais ousado de todo o disco seja a faixa três deste disco, “Lunik 9” – parceria com Torquato Neto. em “Água de meninos”, é parceria com Caê, que a cantava como “Beira-mar”, música que narra um incêndio & pedra fundamental do que há de comum entre os dois – assim como Gilberto Gil, Caê sobreviveu ao horror da raiva hidrofóbica dos verdugos! vale a pena lembrar: este era só o disco de estréia, em uma carreira que contabiliza 27 discos de estúdio, até o momento de publicação deste artigo. em Agosto deste mesmo ano de 67, acontece o terceiro festival de Música da Rede Record, de onde Gil sai laureado com o segundo lugar & a faixa final do seu próximo disco, “Domingo no parque”.
          o disco seguinte, “Frevo rasgado” (Maio de 1968), é considerado a pedra fundamental da Tropicália, porque une de vez fotógrafos, musicistas, coreógrafos, pintores & escritores querendo digerir “Sargeant Peppers” para aqueles que vivem ao Sul da linha do Equador: “Luzia Luluza” é a faixa principal deste Manifesto; e onde “Domingo no parque” funciona como introdução ao léxico do grupo; nos dias de hoje, este disco finaliza com “Questão de ordem”, que só foi adicionada à playlist para o relançamento comemorativo das bodas de ouro do disco, numa total compactuação com as guitarras elétricas ou quaisquer outros instrumentos musicais.
          em 1967, Gil comete casamento com a da filha de Dorival e de dona Stella Maris, Dinahir Caymmi – Nana, a primogênita, irmã mais velha de Dori e de Danilo. é decretada sua prisão em Dezembro de 1968, quando Gil tinha um programa na televisão & encontrava-se em excursão pelo país com seus amigos tropica-valentes. uma presença era constante no palco: a bandeira nacional com a intervenção de Hélio Oiticica, “Seja marginal, seja herói”, transformam Caê e Gil em prêmios principais do Ato Institucional número cinco: os dois são presos alguns dias depois do Natal de 1968, e amarguram até a Quarta-feira de Cinzas em um quartel, no Rio de Janeiro, quando são liberados para prisão domiciliar. suportam esta situação até Julho de 1969, quando realizam um show de despedida do Brëzyl no Teatro Castro Alves, optando por um exílio nas Zooropas, primeiro em Lisboa, depois em Paris,  finalmente fixando residência em Londres.
          para o país, Gil retornará somente no ano de 1972. dono de uma carreira musical mundialmente premiada, amplia sua ação ao plano político, agindo diretamente na vida das pessoas para quem cantava: assume a vereança em sua cidade de origem no período 1989 ~1992; em 1997, é condecorado com a Ordem Nacional ao Mérito do governo francês; em 1999, é nomeado “Artista pela Paz” pela UNESCO; finalmente, de 2003 a 2008, trabalha como Ministro da Cultura, implementando mais de 2500 Pontos de Cultura em 1122 cidades do país.
          para o exercício de tradução de hoje escolhi o 13o disco de Gil, “Parabolicamará”, de 1992. neste disco, “Um sonho” é a faixa que primeiro puxou minha atenção, onde o eu-lírico narra um sonho que teve, um discurso para muitos gravatas importantes em um grande fórum mundial – um sonho que lhe veio quase 13 anos antes de acontecer de verdade!

 

PARABOLICAMARÁ (lançamento de Janeiro de 1992, Warner Music)

 

 

A.01-MADALENA (ENTRA EM BECO SAI EM BECO) (Isidoro)
Fui passear na roça

Encontrei Madalena

Sentada numa pedra

Comendo farinha seca

Olhando a produção agrícola

E a pecuária

 

Madalena chorava

Sua mãe consolava

Dizendo assim

Pobre não tem valor

Pobre é sofredor

E que ajuda é Senhor do Bonfim

 

Entra em beco sai em beco

Há um recurso Madalena
Entra em beco sai em beco

Há uma santa com seu nome

 

Entra em beco sai em beco

Vai na próxima capela
E acende uma vela

Pra não passar fome

 

 

A.02-PARABOLICAMARÁ (Gilberto Gil)
Antes mundo era pequeno
Porque Terra era grande
Hoje o mundo é muito grande
Porque Terra é pequena
De tamanho da antena parabolicamará

Ê, volta do mundo camará
Ê, mundo dá volta, camará

Antes longe era distante
Perto só quando dava
Quando muito ali defronte
Eo horizonte acabava
Hoje lá trás dos montes dende casa camará

De jangada leva uma eternidade
De saveiro leva uma encarnação
De avião o tempo de uma saudade

Pela onda luminosa
Leva o tempo de um raio
Tempo que levava rosa
Pra aprumar o balaio
Quando sentia que o balaio ia escorregar

 

Esse tempo nunca passa

Não é de ontem nem de hoje

Mora no som da cabaça

Nem está preso nem foge

No instante que tange o berimbau, meu camará

Esse tempo não tem rédea

Vem nas asas do vento

O momento da tragédia

Chico Ferreira e Bento

Só souberam na hora do destino apresentar

 

A.03-UM SONHO (Gilberto Gil)
Eu tive um sonho Que eu estava certo dia
Num congresso mundial Discutindo economia

Argumentava em favor de mais trabalho, mais

empenho, mais esforço, mais controle, mais valia

 

Demonstrei de mil maneiras
Como que um país crescia
E me bati pela pujança econômica

Baseada na tônica da tecnologia

 

Apresentei estatísticas e gráficos

Demonstrando os maléficos efeitos da teoria
Principalmente a do lazer, do descanso

Da ampliação do espaço cultural da poesia

Disse por fim para todos os presentes
Que o pais só vai pra frente se trabalhar todo dia
Estava certo de que tudo o que  eu dizia
Representava a verdade pra todo mundo

Foi quando um velho levantou-se da cadeira
E saiu assoviando numa triste melodia

Que parecia um prelúdio bachiano
Um frevo pernambucano, um choro do Pixinguinha

E no salão todas as bocas sorriram,
Todos os olhos me olharam, todos os homens saíram
Um por um,

Um por um,

Um por um,

Um por um.

 

Fiquei ali naquele salão vazio,

de repente senti frio e reparei que estava nú!
Me despertei, assustado e ainda tonto,

Me levantei e fui de pronto pra calçada ver o céu azul
E os operários escolares que

passavam Davam risada

e gritavam

Viva o índio do Xingú!

 

Viva o indio do Xingú,

Viva o índio do Xingú,

Viva o índio do Xingú.

 

A.04-BUDA NAGÔ (Gilberto Gil)
Dorival é ímpar
Dorival é par

Dorival é terra

Dorival é mar

 

Dorival tá no pé

Dorival tá na mão

Dorival tá no céu

Dorival tá no chão

 

Dorival é belo

Dorival é bom

Dorival é udo

Que estiver no tom

 

Dorival vai cantar

Dorival em CD

Dorival vai smbar

Dorival na TV

 

Dorival é um buda nagô

Filho da casa real da inspiração

Como príncie principiou

A nova idade de ouro da canção

Mas um dia Sanhô

Deu-lhe a iluminação

Lá na beira do mar (foi)

Na praia de armação (foi não)

Lá no jardim de Alá (foi)

Lá no alto sertão (foi não)

Lá na mesa de um bar (foi)

Dentro do coração

 

Dorival é Eva
Dorival é Adão

Dorival é lima

Dorival limão

 

Dorival é a mãe

Dorival é o pai

Dorival é o peão

Balançamas não cai

 

Dorival é um monge chinês

Nascido na Roma negra, Salvador

Se é que ele fez fortuna ele a fez

Apostando tudo na carta do amor

Azes, damas e reis

Ele teve e passou

Teve o mundo aos seus pés

Ele viu e nem ligou

Seguidores fiéis

E ele se adiantou

Só levou seus pincéis
A viola e uma flor

 

Dorival é índio

Desse que anda nú

Que bebe garapa

Que come beijú

 

Dorival no Japão

Dorival samurai

Dorival é anação

Balança mas não cai

A.05-SERAFIM (Gilberto Gil)
Quando o agogô soar

O som do ferro sobre o ferro

Será como o berro do carneiro

Sangrado em agrado ao grande Ogum

 

Quando a mão tocar o tambor

Será pele sobre pele

Vida e morte para que se zele

Pelo orixá e pelo ogum

 

Kabiêcile vai cantando o ijexa pro pai Xangô

Eparrei oraieié pra Iansã e mãe Oxum

Obabi olorum kozi como deus não há nenhum

 

Será sempre axé

Será paz será guerra Serafim

Através das travessuras de Exu

Apesar da travessia ruim

 

Há de ser assim

Há de ser sempre pedra sobre pedra

Há de ser tijolo sobre tijolo

E o consolo é saber que não tem fim

 

 

B.01-QUERO SER TEU FUNK (Gilberto Gil, De e Liminha)
Quero ser teu funk
Ja sou teu fa numero um

Agora quero ser teu funk

Ja sou teu fa numero um

 

Funk do teu samba

Funk do teu choro

Funk do teu primeiro amor

 

Rio de Janeiro

Bela Guanabara

Quem te viu primeiro pirou

 

Chefe Arariboia que andava

De Araruama a Itaipava
Nao cansava de te adorar

 

Depois te fizeram cidade

Te fizeram tanta maldade

E um Cristo pra te guardar

 

Funk do teu morro

Funk do socorro

Que o pivete espera de alguem

 

Rio de Janeiro

Sou teu companheiro

Mesmo que nao fique ninguem

 

Mesmo que Sao Paulo te xingue

Porque te cobica o suingue

O mar, a preguica, o calor

 

Lembra da Bahia que um dia

Ja mandou Ciata, a tia

Te ensinar kizomba nago

 

Funk da madrugada

Funk qualquer hora

Funk do teu eterno fa

 

Funk do portuga

Que te amava outrora

Agora funk da turista alema

 

Rio de Janeiro, Rocinha

Sempre a te zelar, Pixinguinha

Jamelao, Vadico e Noel

 

Funk sao teus arcos da Lapa

Funk e tua foto na capa

Da revista amiga do ceu

 

 

B.02-NEVE NA BAHIA (Gilberto Gil)
Xuxa

Bruxa

Ducha de agua fria

No fogo do meu plexo solar

 

Loura

Moura

Neve na Bahia

Um furacao sem furia no meu marulhar

 

Agri

Doce

Tal um sal de fruta

Vos me agredais quanto vos me agredis

 

Ouca

Garca

Inocente e astuta

Clareza absoluta e mil ardis

 

Gueixa disfarcada de boneca

Sudanesa travestida de alema

Porque sois o misterio a luz do dia?

Porque sois sempre a noite de manha?

 

Ainda bem que sois fruta no meu sonho

A velha obviedade da maca

Que escolho e colho e mordo na bochecha, Xuxa

E tendes travo e gosto de avela

 

Vick
Vapor

Lenta anestesia

Pimenta na garrafa de isopor

 

Xuxa

Bruxa

Ouro de alquimia

Sois flecha de um cupido pos-amor

 
B.03-YA OLOKUN (Monica Millet e Fred Vieira)
Ribeira eu peco licenca

Pra as aguas do mar, Olokun

Ye Olokun, Ya Olokun

 

Sao pontos de areia

Os destinos brilhando num so Olokun

Ye Olokun, Ya Olokun

 

As aguas salgadas

Os homens sujaram o mar, Olokun

Ye Olokun, Ya Olokun

 

Vamos salvar o dique do tororo

Bahia de todos os santos

Sol e areia, ea, ea, ea

 

Perpetuar aqueles que nos dao

A mare vazia e tambem a mare cheia

 

B.04-O FIM DA HISTORIA (Gilberto Gil)
Nao creio que o tempo

venha comprovar

nem negar que a historia

possa se acabar

 

Basta ver que um povo

Derruba um czar

Derruba de novo

Quem pos no lugar

 

E como se o livro dos tempos

Pudesse ser lido traz pra frente

frente pra traz

 

Vem a historia, escreve um capitulo

Cujo titulo pode ser “Nunca Mais”

 

Vem o tempo e elege outra historia

Que escreve outra parte

Que se chama “Nunca E Demais”

 

“Nunca Mais”, “Nunca E Demais”, “Nunca Mais”

“Nunca E Demais” e assim por diante tanto faz

 

Indiferente se o livro e lido

De traz pra frente

Ou lido de frente pra traz

 

Quantos muros ergam

Como o de Berlim

Por mais que perdurem

Sempre terao fim

 

E assim por diante

Nunca vai parar

Seja neste mundo

Ou em qualquer lugar

 

Por isso e que um cangaceiro

Sera sempre anjo e capeta, bandido e heroi

 

Deu-se noticia do fim do cangaco

E a noticia foi o estardalhaco que foi

 

Passaram-se os anos eis que um plebicito

Ressucita o mito que nao se destroi

 

Oi Lampiao sim, Lampiao nao, Lampiao talvez

Lampiao faz bem, Lampiao doi

 

Sempre o pirao de farinha da historia

E a farinha e o moinho que o tempo moi

 

Tantos cangaceiros

Como Lampiao

Por mais que se matem

Sempre voltarao

 

E assim por diante

Nunca vai parar

Inferno de Dante

Ceu de Jeova

 

B.05-DE ONDE VEM O BAIAO (Gilberto Gil)
Debaixo

Do barro do chao

Da pista onde se danca

Suspira uma sustanca

Sustentada por um sopro divino

Que sobe pelos pes da gente

E de repente se lanca

Pela sanfona afora

Ate o coracao do menino

Debaixo

Do barro do chao

Da pista onde se danca

E como se Deus

Irradiasse uma forte energia

Que sobre pelo chao

E se transforma

Em ondas de baiao

Xaxado e xote

Que balanca tranca

Do cabelo da menina

E quanta alegria

De onde e que vem o baiao?

Vem debaixo

Do barro do chao

De onde e que vem

O xote e o xaxado?

Vem deibaixo

Do barro do chao

De onde vem a esperanca

A sustanca espalhando

O verde dos teus olhos

Pela plantacao

O o vem debaixo do barro do chao

 

 

Disco VIII {(1967)}: Sargent Peppers Lonely Hearts Club Band \\|// Sarja Péppers & os Lou Nílli Rértz clube/banda #thebeatlesemportugues

 

 

 

 

08 A-01 Sal Pimenta
Já faz mais de vinte anos atrás
Sarja Pépper ensinou a uns rapaz
Eles tinham problema com o progresso
e era o que pagava o ingresso
[Deixe-me trazer para a gente agora
[o número muito nosso conhecido do
[Sal Pimenta &t Os Lou Nílli Rérz clube/banda

É o Sarja Pepper &t Os Lou Nílli Rérz clube/banda
tomara que gostem do show
É o SP&LNRC/B
Relaxe e deixe a Sol se pôr
SP&LN, SP&LN, SP&LNRC/B

Foi ótimo poder vir
Dá um certo arrepio
Vocês são um público especial
Queremos levar vocês pra casa conosco
Queremos levar vocês ((conosco))

Não quero mesmo ter que estragar o som
Fica pra vocês mais esta informação
Nesta nossa próxima canção
É pra todos, juntos, cantarem o refrão
É isso o que vai anunciar
o primeiro e único Billy Shears
dos Sarja Pépper &t Os Lou Nílli Rérz clube/banda

08 A-02 Com uma mãozinha de todos meus irmãozões
O que ia parecer             cantar desafinado
Se levantem e                me deixem falando sozinho aqui?
Se me permitem               vou cantar para a gente
Vou tentar ser meu melhor    e o mais competente

Só vai dar certo        com uma mãozinha dos meus irmãos
Só chego longe          com uma mãozinha dos meus irmãos
Se tem um jeito é       com aquela mãozinha dos meus irmãoszãos

O que eu faço                sem meu amor por perto?
Se me queima as fuça         ficar completamente só?
O que eu penso               quando o dia acaba?
É a depressão                por estar completamente só?

Não, eu sempre tenho    uma mãozinha dos meus irmãos
Só chego longe          com uma mãozinha dos meus irmãos
Se tem um jeito é       aquela mãozinha dos meus irmãoszãos

De quem você      sente falta?
Preciso de alguém       para amar
Pode ser          qualquer pessoa?
Só quero alguém         pra eu amar

Você ainda acredita          em amor de primeira?
Tenho certeza                de que é o que acontece sempre
E o que você vê              quando a luz se apaga?
Não sei o que é isso         mas eu sei que é meu

Só vai dar certo        com uma mãozinha dos meus irmãos
Só chego longe          com uma mãozinha dos meus irmãos
Vou tentar assim        com uma pequena, uma ajudazinha de todos
meus grandes irmãoszãos

08 A-03 Lúzia do Céu Diamantes
Imagine que desce um caiaque a vereda
Árvores tangerina e céu de marmelada
Alguém lhe chama, devagar atende
É a garota de caleidoscópio n’olhar

Flores celofane verdes&amarelas
Deslizam na tua cabeça
Cadê a garota com a Sol nos olhos
Já foi

Lúzia do Céu Diamantes!

A segue até a ponte bem perto da fonte onde
Cavalos de pau manjam mexericas
Todos te sorriem e navega entre as flores
Que crescem a perder de vista

Táxis de papelão estacionam na costa
Querem te levar com eles
Aceita a carona a cabeça nas nuvens
Partiu

Imagine que está em um trem numa estação
Dos porteiros de plástico com gravatas borboleta
De repente nota alguém lá na catraca
É a garota de caleidoscópio n’olhar

08 A-04 A vida é só melhora
A vida é só melhora

Passava os dias em mau humor
(reclamar de nada!)
Na escola só tinha gente ruim
(reclamar de nada!)
Repetir de ano, te virar do avesso
te forçar a engolir seus malignos planos
(malignos planos!)

Eu vou te admitir, é melhor assim
(melhor!)
Melhor um pouquinho de cada vez

Tenho que admitir, a vida é só melhora
(melhor!)
Desde que estamos juntos

A vida é só melhora desde que estamos juntos
A vida é só melhora

Mim sempre nervoso, velhinho
Mim dorme co’a cabeça dentro do oco
Quando me chamou, pude te ouvir
Demos o nosso melhor de si

😐

Eu já fui ruim com mulher
As humilhei e afastei do que lhes importava
Eu já fui covarde, mas me entendi
Estamos aqui para dar o melhor de si

08 A-05 Tampando um buraco
Tampando um buraco           onde o vento faz a curva
Me enerva e me interrompe                o raciocínio
Pra onde vou

Fechando umas fendas         o rangido da porta
Corta minha brisa            de imaginar
Pra onde vai

E não faz mais nenhum sentido
Se foi bola dentro ou fora
Daqui não vou-me embora
Daqui não vou…

Ali ficam as pessoas
que só discordam e não dão as mãos
e ainda reclamam que nunca as convido à discussão

Pintando as paredes do       meu colorido quarto
Foi quando eu                pude imaginar
Prá lá que vou

😐

E não faz mais nenhum sentido
Se foi bola dentro ou fora
Daqui não vou embora
Daqui não vou…

Pessoas ocupadas
e estabanadas me metem medo
e me fazem pensar aonde é que este mundo vai parar

Dedicando meu tempo          a mais de um bilhão de coisas
Que ainda ontem              me eram bem fúteis
Ainda vou

08 A-06 Indo embora de casa
Quarta-feira o dia começou de manhã bem cedo
Fez nenhum barulho, arrumava o quarto
Deixou num bilhete o endereço novo

E desceu, pra cozinha e deixou o molho de chaves na parede
Tinha também um lenço de mão
Saía de casa e da prisão

Ela
(Demos nossa vida por ela)
vai deixar
(Sacrifício de planos por ela)
o lar
(Lhe demos tudo do bom e do que era melhor)
Ela vai nos deixar depois de morar sozinha desde sempre
(Já vai)

O pai chorava no quarto, foi ele quem encontrou a carta
A mãe entra e deita ao seu lado
Abraça o marido e soluça seu choro

Se recompõe e diz, “viu, meu pai o que sua filhinha aprontou?
Como ela pôde ser tão egoísta?
Não é isso o que ensinamos aqui!”

Ela
(Ela sempre em primeiro lugar)
vai deixar
(Não sobrava nenhum tempo para nós)
o lar
(Ralamos muito para chegar até onde chegamos)
Ela vai nos deixar depois de morar sozinha desde sempre
(Já vai!)

Sexta-feira, tarde da noite ela já está lonjão
Torcia para na sua nova vida correr tudo muito bem
Ela e um amigo que conheceu no trem

Ela
(Onde foi que nós erramos)
vai deixar
(Ainda não sabemos aonde erramos)
o lar
(A paz é algo que o dinheiro não pode comprar)
Talvez fosse algo dentro dela que ela quisesse fazer desde sempre
(Já vai)
Vai deixar seu lar
Já vai!

08-07 Em homenagem ao Senhor Vagem

 

08-08 sem você mas com
a conversa              era do espaço que nos envolve
e das pessoas que se escondem por entre barreiras de enganação,
sem suportar ao outro        até quando for muito tarde
a gente morre de repente

a conversa              era do amor que nos rodeia
que se descobre              e que se tenta ao máximo manter para só você
e com o amor,     isto muda o mundo,      a gente vai aprender

tente entender que tudo já está dentro de si
parte de entender que tudo está em si mesmo
só se muda a si mesmo
é quando aprende o tamanho da partícula pequena
que a vida flue         por dentro de           e até sem ti

😐

a conversa              era do amor que adormece
e das pessoas do mundo da troca que corrói
eles não sabem nem entendem, qual destes é você?
quando se vê o contexto,           além de si está

a paz de espírito                  é ali que habita
e vai vir o tempo                  que saberá estar só
já viu que a vida flue       por dentro de     e até sem ti

08-09 Quando eu tiver Sessenta e quatro
Quando eu virar velho              sem nenhum mais cabelo
O futuro                           daqui a algum tempo
Será que vai lembrar               além do dia em que nasci
Com cartão de lembrança            ou garrafa de vinho?

Quando eu for para uma festa       não voltar até as seis horas
Vai trancar                        a nossa casa?
Ainda vai se importar,             vai me dar comida
quando um velhote                  eu virar?

Ficar velho é normal
E só converse comigo
Se eu moro com você

Eu sei fazer várias coisas         já construí usinas
quando você                        estava na escola

Eu sei fazer várias coisas         trocar um fusível queimado
Ir pagar                           suas contas

Você lê o jornal                   quieto de manhazinha
Todo dia de manhã                  ir andar com os cachorros

Faço o jardim
Quem poderia querer mais?

08-10 Louve-lhe Rita
Louve-lhe Rita               minha Leide
Não existe nada              que vá nos separar
Mesmo muito longe eu sei dizer      que você está bem

Pondo moedas em um parquimétro
Foi lá que eu vi a minha Rita
Escreve bilhetinhos na caderneta de mão!

Usa um chapéu com óculos escuros
Carteira de couro e mala de rodinhas
Ela adora fingir que é da Polícia Federal!

Louve-lhe Rita, minha leide
Será que posso fazer uma pergunta de cunho pessoal?
Será que está livre para tomar um café comigo?

A convenci, saímos juntos
Tiramos um sarro, comemos juntos
E quando estava no fim eu disse que queria ter mais

Na hora da conta, ela pagou tudo
Lhe dei carona, e o gol foi quase
Estava eu no sofá com ela os gatos e as irmãs

Louve-lhe Rita, minha leide!
Nunca ia ter feito sem você
Me mande um beijinho pra saber que se lembra de mim

08-11 Um bom dia, um dia bom
Não vai mais ter como salvar este aqui, podem levar embora
Não vai ter o que se dizer, além de “olha que bom, meu, foi tudo bem!”
Não vai ter o que se fazer, é só você
Não tenho nada pra ti, mas é isso aí

Depois de um tempo, é que sentiu, bateu o vento
Foi aí que lembrou, ia ser bom andar por lá de novo
Nada mudou, e o tempo parou
to sem nada pra ti, mas é isso aí

Porque alguém tinha que saber da hora, por isso eu vim junto
E pra ver umas coxas, a dessas moças, cara isso faz bem!
E se está aqui, é porque ela quer curtir!
Não tenho nada pra ti, mas é isso aí

08-13 Um dia numa vida
Tenho uma triste, irmão                  agora
Daquele outro meu irmão                  que cavou a própria cova
Esta não é nenhuma                       boa nova
Não vai ter como                         não sofrer
Já vi essa imagem                        acontecer

Eu vi o carro                            se espatifar
Ninguém nunca que viu                    sinal fechado
O mundaréu de gente                      que foi lá olhar
Ele achavam o conhecer mas ninguém nunca lembrava quem era
o cara do Jornal das Nove

É hora do filme agora                   irmão
Estavam lá todos os cáubóis              de cús nas mãos
O mundaréu de gente                       que desistiu
Eu estava lá pra olhar
Era minha mão jurando, parada,           em cima do livrão
Eu estou aqui           só    pra         vo    cê

De pé                                    caiu do catre
Levava a kombi                           e mais badulaques
Descobre um atalho para casa             e ganha mais uns tragos
Foi bem na hora que notei                já era a minha vez
Acha o casaco                      toma o chapéu

Lembrei do trampo                  que escarcéu!
Lembra onde foi que guardou a escada     e fuma mais um cigarro
Alguém mais falou                  e eu caí dentro de um sonho

😐

Ouvi ao jornal, irmão                    agora
4mil covas em                            Blackburn, Lancashire
As covas eram bem rasas                  e cada foi cavada
Agora eles já sabem quantos mortos       enchem o Albert Hall
Fui eu quem             te                de                dou