disco VI {(1965)} Rubber soul \\|// Alma gomae #beatlemania #thebeatlesemportugues

 

DISCO VI Alma gomae (RUBBER SOUL, lançamento de 03 de Dezembro de 1965 pela Parlophone, UK)

06 A-01 D1R161R M3U C4RR0
Perguntei “Amor, o que é que você quer ser?”
E ela, “Neném, tente me entender,
vou ser famosa, uma estrela da tela,
vou te deixar doido pra ficar com ela!”

Pode dirigir meu carro Você vai ficar um sarro
Pode dirigir meu carro Benzinho, eu te amo!

Eu disse “Amor, onde é que me alisto?”
E ela, “Neném, isso já é bem visto,
ensina até aos filhos a lição,
vou te levar para andar de avião!”

Eu disse “Amor, quando é que começo?”
E ela, “Neném, não é nenhum retrocesso,
não ter um carro e os sapatos tão gastos,
achei meu motorista e ele é um gato!”

06 A-02 T0N3L D3 C4RV4LH0 (0 81CH0 V00U)
Eu já tive alguém melhor dizer, alguém já me teve
Ela me levou pra casa, ficou de embaraço, tonel de carvalho

Você fica aí o que quer que seja isso aí
Foi quando eu fui ver, eu notei não tem mais nada aqui

Daí me sentei no rancho pra passar o tempo, bebi todo o ponche
Era alta madrugada e ela me disse, “vou dar uma deitada”

Me contou do trabalho, do dia, ficou doida e só ria
Eu lhe disse do meu nada e fui pra soneca embaixo da pia

Daí quando acordei não tinha ninguém, o bicho voou
Preparei uma fogueira com aquela madeira tonel de carvalho

06 A-03 QU3M V41 M3 V3R || Ninguém vai nem ver
vez, toda vez

06 A-04 S3NH0R N1N6UÉM
Ele é um real Senhor Ninguém
Senta em sua terra de Ninguém
Faz os planos de ninguém para lugar algum
Não sabe para as coisas olhar
Não sabe aonde é que vai parar
Não tem um pouco dele em cada um de nós?

Senhor Ninguém, ainda há tempo!
Não faz idéia do que está perdendo
Senhor Ninguém o mundo inteiro ao seu comando

Se faz de cego, mas pode ver
Escolhe o que vai entender
Senhor Ninguém, me vê parado aqui na frente?

Senhor Ninguém, não há pressa!
O seu tempo é o que lhe interessa
Quem sabe na próxima alguém mais lhe dá a mão

06 A-05 Melhor pensar sozinho

06 A-06 O livro
diga o livro que te liberta
diga o livro que nos traz mais perto
diga o livro em que estou pensando

06 A-07 M1CH43LL4
Michaella, minha bela
São palavras que casam bem com ela
Minha Michaella

Michaella, ma belle
Sont des mots qui vont trés bien, ensamble!
Trés bien!, ensamble

Te amo, te amo, te amo
É só o que eu sei dizer
Antes de achar um jeito
Só vou dizer as poucas palavras que sei que vai entender

Michaella, kleine mädchen
Das sage ich und so immer gleich
So immer gleich
Te quero, te quiero, ich wunsche dir
Você tem que saber ver
O que um é pro outro
Até então eu fico aqui esperando você (me) perceber

Te quero, te quiero, ich wunsche dir
Já deu pra você perceber
Eu sempre chego até você
Até então só vou dizer o que sei que (você) vai entender

A // B

06 B-01 O que se passa

06 B-02 G474
Será que alguém aqui quer ouvir a minha história
Da garota que chegou para ficar?
Ela é o tipo de garota que te leva à glória
Você, bobo, só pede para ela ficar

Ah, garota
Gata

Quando eu lembro como foi ruim toda separação
Era só me ver pra ela chorar
Ela me deu os céus a terra e até todo o inferno
Bobo, eu só sabia acreditar

Ah, garota
Gata

Ela é aquela mina que te destrata com as amigas
Te faz de tonto
Se tú diz um elogio Ela finge um assobio
Ela é a legal! Legal!

Ela não sabe por que o amor difere do ódio
o quanto de trabalho paga o lazer
Ela não quer nem saber dos problemas dos outros
e não vai estar nem aí se tú morrer

06 B-03 Olho pra você
Olho pra você Pra onde foi?//Cadê você?
Achava te conhecer Quem ia dizer
Não está diferente Mas já mudou//Mas mudou sim
Olho pra você Já não é a mesma
Sua boca mexe Não sei ouvir
Sua voz suave Palavras frequentes
Não está diferente É o jogo que mudou
Olho pra você Já não é a mesma
Como vou explicar Você nunca quis me amar
Amor é um hábito passageiro Que com a noite vai voar

06 B-04 N4 M1NH4 V1D4
Tem lugares que me lembram
do que vivi e do que mudou
d’alguns “pra sempre”, d’outros “melhoras”
dos que partiram e de quem restou

Os lugares e cada um destes momentos
Com amantes e amigos que ainda me vêem
Alguns se foram outros ainda são bem dançantes
Na minha vida os amei demais

Dos que conheço e ainda amo
não existe ninguém no teu patamar
O saudosismo perde o sentido
quando vejo o amor que você me traz

Eu sei, não tem como parar com isso
O que já se foi, querer bem&mais
A gente só aprende com a Distância
Na minha vida, os amei demais
Amei-os todos demais

06 B-05 Calma

06 B-06 Se precisar de alguém

06 B-07 Correr tudo o que tem, garotinha

Anúncios

disco IV {(1964)} Beatles for sale \\|// Brittos pra vender #beatlemania #thebeatlesemportugues

 

DISCO IV Brittos pra vender (BEATLES FOR SALE, lançamento de 04 de Dezembro de 1964 pela Parlophone, UK)

04 A.01 S3M  R35P0574
E vai acontecer de novo
Alguém chama da porta
Sem resposta…
Não era da tua casa
E eu te vi através dos vidros
Mais uma farsa! Outro boato!
Eu sei que você me viu quando me
Aliviava nos jardins!
Tentei no telefone
Foi só mais uma lorota:
Você não estava!
Eu estava te espionando, e sabia
Muito bem: você estava!
É a minha morte! É a minha morte!
Quando chegou eu vi, de
Mão dadas com um carinha, não era eu!
No seu lugar eu já ia ter percebido
Um amor igual ninguém ia me dar!
Ia me esquecer de todas lorotas
Mas você me deixou sem resposta!

04 A.02 P3RD1 7UD0
Perdi tudo
Perdi até o meu segundo rim
Perco tudo
Não sou o que falo que sou
De todos os caminhos que amei e perdi
Tem alguns deles, melhor não, nem andar
Tem o de uma menina, uma em um milhão
Pra começar é ela quem sai ganhando
Posso agir e falar igual a um bufão
Na roupa de baixo vem as cicatrizes, meu irmão
Meu choro mistura com as águas das chuvas
Sei lá se é por mim ou se é por ela essa vela
Sei lá o que aprontei pra merecer tal destino
Só eu sei qual foi todo o meu caminho
O ditado diz, antes da tempestade vem o orgulho
É pra ser uma lição este meu testemunho

04 A.03 M3U 4M0R V3573 0 LU70
Ela nele pensa, e por isso de luto quer estar
E daí, se ele nunca mais voltar, de luto ela já está!
Eu nela penso, e ela só tem pensamento pra ele
E ele é só um cretino, mas ela quer ele!
E quanto tempo vai levar
Até ela ver que isso é errar?
Meu amor, o que posso fazer?
Meu amor veste o luto e eu estou de preto
Me diz, o que posso fazer?

04 A.04 R0QU3NR0U MÚ51C4 – Chuck Berry
Não ligue se tocarem um tango
Eu disse que gente quer ouvir mambo
Sai cedo o vôo para o Congo
Vai dar tempo de tocar o piano

04-A.05 Eu sigo a Sol
Algum dia vai perceber que eu já me fui
Amanhã que se chova então, (hoje) eu só sigo a Sol

Um dia vai lembrar do que fomos

Amanha que se chova então, (hoje) eu só sigo a Sol
Agora chegou a hora
Meu amor, já me vou
Tenho uma amiga a menos
Mas pelo menos você sacou

Chegou a hora de entender que eu já era
Amanhã que se chova então, (hoje) eu só sigo a Sol

04-A.06 Senhor Luz Lunar – Roy Lee Johnson
Apareceu para mim numa noite veronil
E com teu feixe me levou para o sonho
Me enviou do mundo a minha mulher
E de lá de cima irradia a nós o amor

E agora, que ela é só minha
Pra mim o senhor passa bem, bem, muito bem
Todos te amamos

Senhor Luz Lunar, desce brincar
O que eu faço pra o senhor me ouvir?
Venha de uma vez!
Nas noites em que o senhor nem pá nem vem
O quanto eu rezo e rezo, mais que sempre
Nós te amamos

04 A.07 K4N545 C1TY – E1, 31, 31! – Jerry Leiber, Mike Stoller, Richard Penniman

04 B.01 C3M D145 N0 MÊ5
Eu quero o seu amor, meu bem
já me fiz entender
Espero que me queira também
como quero a você
Me aperta&solta, me ame&ama
Aqui só tem amor, meu bem,
Cem dias no mês

Te amo todo dia
você está sempre em mim
Se posso ser a meu favor
te amo sempre, é sim!

Cem dias por mês
te sinto
Cem dias por mês
vai faltar pra fazer o que eu quero

04-B.02 Words of love – Buddy holly

04-B.03 Honey, don´t – Carl perkins

04-B.04 Cada porçãozinha // cada pedacinho

04-B.05 Não sou eu o estraga-festas

04 B.06 0 QU3 7Ú C4U54
Olha o que tu causa, eu sinto náusea
Será pedir demais pra me dizer
O que tú causa em mim?
Vamos fugir juntos, não somos defuntos
Por que é pedir demais pra me dizer
Qual teu efeito em mim?
Pare com os boatos, me sinto um morto
Por que é pedir demais pra me dizer
Pra quê sofrer assim?

04 B.07 Everybody´s trying to be my baby – Carl perkins

 

duas canções, duas traduções

salve salve, meu bom povo e minha boa pova da barulhenta, boêmia e condenada #Web esfera nossa de cada dia!

estava pronto para colocar aqui neste blogue mais uma tradução de disco dos #thebeatles, só que quando fui ver, errei o dia…em Dezembro, comemoramos dois #beatleniversários: é do dia 04 de Dezembro de 1964 a publicação do quarto disco de estúdio do quarteto, “Beatles for sale”, e de 03 de Dezembro de 1965 o sexto disco – talvez a pedra fundamental ((e filosofal)) do grupo, “Rubber soul”.

para mim, Dezembro guardava apenas um #beatleniversário, e era do dia 9 de Dezembro com o “Alma gomae”…e bem neste dia, acabei conhecendo uma paródia dos “quatro pré-fabricados”, que John, e Paul, e Ringo e Georgie (os “quatro fabulosos”) também puderam conhecer: “The Rutles: all you need is cash”, de 1978, é um filme em que uma porção do grupo de comediantes britânico Monty Python ironiza do começo ao fim dos The Beatles. Ringo Starr e George Harrison gostaram tanto da paródia que viviam dizendo que deveriam montar um grupo com Eric Idle e Neil Innes. John Lennon, quando recebeu para aprovação (ou não!) a fitinha com o #zoeiramentário (uma palavra que junta as palavras “#zoeira” e  “#documentário”, para definir o gênero “#mockyumentary” em que está inserido), recusou-se a devolvê-la, guardando em seu acervo e assistindo ao filme sabe-se lá quantas vezes. Paul McCartney respondeu com seu costumeiro “Sem comentários”.

the_rutles

neste especial de uma hora para a televisão, Eric Iddle se juntou a mais três músicos para contar em ritmo de documentário jornalístico a história dos “The Rutles”. Iddle se deu ao trabalho de montar releituras de grandes faixas dos The Beatles: fez 20, para conseguir compor seu programa de televisão. foi mais longe e reencenou capas dos discos, dos singles, e até mesmo partes dos shows. é quase como se testemunhássemos um universo paralelo: na gravadora, por exemplo, os The Beatles criaram o próprio selo com a “Apple”, com a logomarca de uma maçã; os The Rutles criaram a Rutles Corps, com a logomarca de uma banana; como exemplo, pegue a faixa “Get up and go”, e você terá uma releitura incrível, quase como se McCartney e Lennon tivessem levado para outro lado suas próprias canções, neste caso, de“Get back”:

 

https://www.youtube.com/watch?v=amiBTezWKqQ

 

https://www.youtube.com/watch?v=df4M7JFNujo

 

as minhas versões dos The Beatles para o “Rubber soul” estavam prontinhas para entrar no ar, mas daí conheci mais este trabalho impressionante dos The Monty Python…para piorar, descobri que estava atrasado com a publicação do “Rubber soul”! com isso, posso dizer que meu universo ruiu…ou simplesmente, andou num compasso levemente diferente.

por isso que voltarei num momento dentro em breve para falar sobre estes dois discos dos The Beatles…hoje, vou me aproveitar da minha própria falha para desviar o assunto para outras histórias!

porque este é um site de pedradas!

      a tentativa hoje é de verter ao inglês algo fundamental da nossa música, e de realizar o caminho inverso com algo fundamental da música gringa.

Boldrin-Caipira

escolhi o “Vide vida marvada”, que veio a lume no disco “Caipira”, de 1981, do maestro Rolando Boldrin, porque é uma música que todo mundo cresce ouvindo. são duas  estrofes, e um refrão, cada um dos três com esquemão de 8 versos com rimas a cada dois. as cenas tendem ao bucolismo da mãe natureza e, por se tratar do Brasil, são tristes. tenho tentado uma versão em espanhol e em alemão, mas a em ingrêis acho que ficou pronta. não sei se o maestro já precisou cantar a própria música em idioma estrangeiro, mas eu já.

uma das polêmicas cabeludosas pra traduzir  é o verbo “pontear”. um instrumento de corda, no caso a viola de 10 cordas, já tem um uso corrente do verbo, com “to pluck”, ou com “to strum”. não fui muito com a cara do primeiro, e o segundo descartei por razões óbvias na nossa sonoridade lusófona:

The tears that I cry they are loosely plucked

VS

The tears that I cry they are bad strummed

 

outra polêmica são os pronomes, “she” para o “it” comum de objeto inanimado, uma viola. me apoio neste assunto na razão do saudoso Blues Boy King e de sua querida guitarra Lucille. e o “it” para o Mundo ruminado, mas confesso que ainda não olhei quais são os pronomes em inglês para os planetas  – ah! as agruras da Poesia no meio da tradução, traducão, tradussa, tradudog!

V1D3 V1D4 M4RV4D4 (Rolando Boldrin)  &t  B4D V1LL4N10U5 L1F3 (rlalmeida)

1.
Corre um boato daqui donde eu moro
Que as mágoas que eu choro são mal ponteadas
Que no capim mascado do meu boi
A baba sempre foi santa &t purificada
         Diz que eu rumino desde menininho
         Fraco &t mirradinho a ração da estrada
         Vou mastigando o mundo &t ruminando
         E assim vou tocando esta vida marvada

There is a rumour in my neighborhood
The tears that I cry they are loosely fingered
The chewed grass my bulls all eat and drool
Their slobber is saint, surelly purified
        I ruminate since a tiny kid
        What a weak pigmean all the seeds I have sought
        Because I ate the world I will it ruminate
        That is the way I play this bad villainous life

2.
Tem um ditado dito como certo
Que cavalo esperto não espanta a boiada
E quem refuga o mundo ruminando
Passará berrando esta vida marvada
         Cumpadre meu que envelheceu cantando
         Diz que ruminando dá pra ser feliz
         Por isso eu vagueio ponteando
         E assim procurando minha flor de lis

There is a saying no one say is untrue
A single wise horse can lead even one thousand bulls
If you refute the world to ruminate
You only will shout your whole bad villanious way
        Brother of mine went old drilling on the road
        Says who can ruminate, it brings then some peace
        And that is why I wonder to finger play
        I also am in search for my very own hapiness

😐
É que a viola fala alto no meu peito humano
E toda mágoa é um remédio pros meus desenganos
É que a viola fala alto no meu peito humano
E toda mágoa é um mistério fora desse plano
    Pra todo aquele que só fala que eu não sei viver
    Chega lá em casa pra uma visitinha
    Que no verso ou no reverso de uma vida inteirinha
    Há de encontrar-me no cateretê

Is my guitar, she speaks so loud within my human chest
And every bruise is medicine for all that I do not have
Is my guitar, she speaks so loud within my human chest
And every bruise is mistery away from all the rest
    For all of you that say I do not know what life is all about
    They shall pay me a visit to my house
    See the comes and goes from every single day
    Shall see me dancing the cateretê
 

já que estou falando de literatura de formação, vale a pena tirar da cartola o truque secreto do supergrupo “The Highwaymen” (ou “Os pé na estrada”).

Highwaymanalbum

na ativa entre 1985 e 1995, este grupo de música sertaneja-raiz estadunidense tinha em sua formação Waylon Jennings, Kris Kristofferson, Willie Nelson e Johnny Cash – com estes 4 totens, só podia se tratar de um supergrupo! conheci a música primeiro pela interpretação de Chan Marshall, e mais tarde pelos The Highwaymen. A autoria é de Lee Clayton, em 1973, que eu ainda não conhecia, mas o Wikipedia.org me contou que era parceirasso do Waylon Jennings, e que mais tarde conseguiu desenvolver uma carreira de musicista de sucesso mundial – e ainda hoje mesmo, 19 de Dezembro de 2018, está vivinho da silva aos seus 76 anos de idade, em Greenbow, no Alabama.

aqui, são três estrofes e uma estrofe de refrão, e cada uma das estrofes com 4 versos. o cavalo prateado pode significar a matiz de seu pelo, cinza claro, ou mesmo que ele já ganhou algum prêmio da miríade ouro – prata – bronze. escolhi essa segunda hipótese, e puxei o vocábulo “azalão”, em grande parcela de culpa do mestre Luiz Gonzaga e sua Asa Branca. o restante da parcela de culpa pela escolha da palavra, é a semelhança com azarão, mas achei difícil de acreditar num azarão premiado que não tenha cicatrizes nenhuma!

 

S1LV3R 574LL10N (Lee Clayton) &t A24LÃ0 PR3M14D0 (r.l.almeida)

1.
I am going to steal a silver stallion
With not a single mark in his silky hide
Teach him he can trust me like a brother
One day we will saddle up and ride

Vou me roubar o alazão premiado
Sem cicatrizes em seu couro de seda
Treinar com a confiança de um cunhado
Um dia eu o monto a pelo a cavalgar

😐
And we are going to ride, we are going to ride
      Ride like the one eyed Jack of Diamonds
      With the devil close behind
      We are going to ride

Sair pra cavalgar, pra cavalgar
      Igual ao valente Valete de Ouros
      O capiroto corre atrás
      Pra cavalgar

2.
I am going to find me a reckless woman
Razor blade and dices in her eyes
Just a touch of sadness in her fingers
Thunder and lightning in her thighs

Vou me achar a mulher aventureira
De sangue nos olhos &t a favor de jogar
Muito da dor aguentam os seus punhos
Tem os raios &t os trovões nos calcanhares

3.
I am going to chase the sky forever
With the woman and the stallion and the wind
The sun is going to burn into a cinder
Before we ever pass this way again

Vou perseguir o céu pra sempre
Montados no vento, eu, a mulher &t o alazão
O sol ainda vai se explodir inteiro
Antes de vermos de novo este batidão