Disco VIII {(1967)}: Sargent Peppers Lonely Hearts Club Band \\|// Sarja Péppers & os Lou Nílli Rértz clube/banda #thebeatlesemportugues

 

 

 

 

08 A-01 Sal Pimenta
Já faz mais de vinte anos atrás
Sarja Pépper ensinou a uns rapaz
Eles tinham problema com o progresso
e era o que pagava o ingresso
[Deixe-me trazer para a gente agora
[o número muito nosso conhecido do
[Sal Pimenta &t Os Lou Nílli Rérz clube/banda

É o Sarja Pepper &t Os Lou Nílli Rérz clube/banda
tomara que gostem do show
É o SP&LNRC/B
Relaxe e deixe a Sol se pôr
SP&LN, SP&LN, SP&LNRC/B

Foi ótimo poder vir
Dá um certo arrepio
Vocês são um público especial
Queremos levar vocês pra casa conosco
Queremos levar vocês ((conosco))

Não quero mesmo ter que estragar o som
Fica pra vocês mais esta informação
Nesta nossa próxima canção
É pra todos, juntos, cantarem o refrão
É isso o que vai anunciar
o primeiro e único Billy Shears
dos Sarja Pépper &t Os Lou Nílli Rérz clube/banda

08 A-02 Com uma mãozinha de todos meus irmãozões
O que ia parecer             cantar desafinado
Se levantem e                me deixem falando sozinho aqui?
Se me permitem               vou cantar para a gente
Vou tentar ser meu melhor    e o mais competente

Só vai dar certo        com uma mãozinha dos meus irmãos
Só chego longe          com uma mãozinha dos meus irmãos
Se tem um jeito é       com aquela mãozinha dos meus irmãoszãos

O que eu faço                sem meu amor por perto?
Se me queima as fuça         ficar completamente só?
O que eu penso               quando o dia acaba?
É a depressão                por estar completamente só?

Não, eu sempre tenho    uma mãozinha dos meus irmãos
Só chego longe          com uma mãozinha dos meus irmãos
Se tem um jeito é       aquela mãozinha dos meus irmãoszãos

De quem você      sente falta?
Preciso de alguém       para amar
Pode ser          qualquer pessoa?
Só quero alguém         pra eu amar

Você ainda acredita          em amor de primeira?
Tenho certeza                de que é o que acontece sempre
E o que você vê              quando a luz se apaga?
Não sei o que é isso         mas eu sei que é meu

Só vai dar certo        com uma mãozinha dos meus irmãos
Só chego longe          com uma mãozinha dos meus irmãos
Vou tentar assim        com uma pequena, uma ajudazinha de todos
meus grandes irmãoszãos

08 A-03 Lúzia do Céu Diamantes
Imagine que desce um caiaque a vereda
Árvores tangerina e céu de marmelada
Alguém lhe chama, devagar atende
É a garota de caleidoscópio n’olhar

Flores celofane verdes&amarelas
Deslizam na tua cabeça
Cadê a garota com a Sol nos olhos
Já foi

Lúzia do Céu Diamantes!

A segue até a ponte bem perto da fonte onde
Cavalos de pau manjam mexericas
Todos te sorriem e navega entre as flores
Que crescem a perder de vista

Táxis de papelão estacionam na costa
Querem te levar com eles
Aceita a carona a cabeça nas nuvens
Partiu

Imagine que está em um trem numa estação
Dos porteiros de plástico com gravatas borboleta
De repente nota alguém lá na catraca
É a garota de caleidoscópio n’olhar

08 A-04 A vida é só melhora
A vida é só melhora

Passava os dias em mau humor
(reclamar de nada!)
Na escola só tinha gente ruim
(reclamar de nada!)
Repetir de ano, te virar do avesso
te forçar a engolir seus malignos planos
(malignos planos!)

Eu vou te admitir, é melhor assim
(melhor!)
Melhor um pouquinho de cada vez

Tenho que admitir, a vida é só melhora
(melhor!)
Desde que estamos juntos

A vida é só melhora desde que estamos juntos
A vida é só melhora

Mim sempre nervoso, velhinho
Mim dorme co’a cabeça dentro do oco
Quando me chamou, pude te ouvir
Demos o nosso melhor de si

😐

Eu já fui ruim com mulher
As humilhei e afastei do que lhes importava
Eu já fui covarde, mas me entendi
Estamos aqui para dar o melhor de si

08 A-05 Tampando um buraco
Tampando um buraco           onde o vento faz a curva
Me enerva e me interrompe                o raciocínio
Pra onde vou

Fechando umas fendas         o rangido da porta
Corta minha brisa            de imaginar
Pra onde vai

E não faz mais nenhum sentido
Se foi bola dentro ou fora
Daqui não vou-me embora
Daqui não vou…

Ali ficam as pessoas
que só discordam e não dão as mãos
e ainda reclamam que nunca as convido à discussão

Pintando as paredes do       meu colorido quarto
Foi quando eu                pude imaginar
Prá lá que vou

😐

E não faz mais nenhum sentido
Se foi bola dentro ou fora
Daqui não vou embora
Daqui não vou…

Pessoas ocupadas
e estabanadas me metem medo
e me fazem pensar aonde é que este mundo vai parar

Dedicando meu tempo          a mais de um bilhão de coisas
Que ainda ontem              me eram bem fúteis
Ainda vou

08 A-06 Indo embora de casa
Quarta-feira o dia começou de manhã bem cedo
Fez nenhum barulho, arrumava o quarto
Deixou num bilhete o endereço novo

E desceu, pra cozinha e deixou o molho de chaves na parede
Tinha também um lenço de mão
Saía de casa e da prisão

Ela
(Demos nossa vida por ela)
vai deixar
(Sacrifício de planos por ela)
o lar
(Lhe demos tudo do bom e do que era melhor)
Ela vai nos deixar depois de morar sozinha desde sempre
(Já vai)

O pai chorava no quarto, foi ele quem encontrou a carta
A mãe entra e deita ao seu lado
Abraça o marido e soluça seu choro

Se recompõe e diz, “viu, meu pai o que sua filhinha aprontou?
Como ela pôde ser tão egoísta?
Não é isso o que ensinamos aqui!”

Ela
(Ela sempre em primeiro lugar)
vai deixar
(Não sobrava nenhum tempo para nós)
o lar
(Ralamos muito para chegar até onde chegamos)
Ela vai nos deixar depois de morar sozinha desde sempre
(Já vai!)

Sexta-feira, tarde da noite ela já está lonjão
Torcia para na sua nova vida correr tudo muito bem
Ela e um amigo que conheceu no trem

Ela
(Onde foi que nós erramos)
vai deixar
(Ainda não sabemos aonde erramos)
o lar
(A paz é algo que o dinheiro não pode comprar)
Talvez fosse algo dentro dela que ela quisesse fazer desde sempre
(Já vai)
Vai deixar seu lar
Já vai!

08-07 Em homenagem ao Senhor Vagem

 

08-08 sem você mas com
a conversa              era do espaço que nos envolve
e das pessoas que se escondem por entre barreiras de enganação,
sem suportar ao outro        até quando for muito tarde
a gente morre de repente

a conversa              era do amor que nos rodeia
que se descobre              e que se tenta ao máximo manter para só você
e com o amor,     isto muda o mundo,      a gente vai aprender

tente entender que tudo já está dentro de si
parte de entender que tudo está em si mesmo
só se muda a si mesmo
é quando aprende o tamanho da partícula pequena
que a vida flue         por dentro de           e até sem ti

😐

a conversa              era do amor que adormece
e das pessoas do mundo da troca que corrói
eles não sabem nem entendem, qual destes é você?
quando se vê o contexto,           além de si está

a paz de espírito                  é ali que habita
e vai vir o tempo                  que saberá estar só
já viu que a vida flue       por dentro de     e até sem ti

08-09 Quando eu tiver Sessenta e quatro
Quando eu virar velho              sem nenhum mais cabelo
O futuro                           daqui a algum tempo
Será que vai lembrar               além do dia em que nasci
Com cartão de lembrança            ou garrafa de vinho?

Quando eu for para uma festa       não voltar até as seis horas
Vai trancar                        a nossa casa?
Ainda vai se importar,             vai me dar comida
quando um velhote                  eu virar?

Ficar velho é normal
E só converse comigo
Se eu moro com você

Eu sei fazer várias coisas         já construí usinas
quando você                        estava na escola

Eu sei fazer várias coisas         trocar um fusível queimado
Ir pagar                           suas contas

Você lê o jornal                   quieto de manhazinha
Todo dia de manhã                  ir andar com os cachorros

Faço o jardim
Quem poderia querer mais?

08-10 Louve-lhe Rita
Louve-lhe Rita               minha Leide
Não existe nada              que vá nos separar
Mesmo muito longe eu sei dizer      que você está bem

Pondo moedas em um parquimétro
Foi lá que eu vi a minha Rita
Escreve bilhetinhos na caderneta de mão!

Usa um chapéu com óculos escuros
Carteira de couro e mala de rodinhas
Ela adora fingir que é da Polícia Federal!

Louve-lhe Rita, minha leide
Será que posso fazer uma pergunta de cunho pessoal?
Será que está livre para tomar um café comigo?

A convenci, saímos juntos
Tiramos um sarro, comemos juntos
E quando estava no fim eu disse que queria ter mais

Na hora da conta, ela pagou tudo
Lhe dei carona, e o gol foi quase
Estava eu no sofá com ela os gatos e as irmãs

Louve-lhe Rita, minha leide!
Nunca ia ter feito sem você
Me mande um beijinho pra saber que se lembra de mim

08-11 Um bom dia, um dia bom
Não vai mais ter como salvar este aqui, podem levar embora
Não vai ter o que se dizer, além de “olha que bom, meu, foi tudo bem!”
Não vai ter o que se fazer, é só você
Não tenho nada pra ti, mas é isso aí

Depois de um tempo, é que sentiu, bateu o vento
Foi aí que lembrou, ia ser bom andar por lá de novo
Nada mudou, e o tempo parou
to sem nada pra ti, mas é isso aí

Porque alguém tinha que saber da hora, por isso eu vim junto
E pra ver umas coxas, a dessas moças, cara isso faz bem!
E se está aqui, é porque ela quer curtir!
Não tenho nada pra ti, mas é isso aí

08-13 Um dia numa vida
Tenho uma triste, irmão                  agora
Daquele outro meu irmão                  que cavou a própria cova
Esta não é nenhuma                       boa nova
Não vai ter como                         não sofrer
Já vi essa imagem                        acontecer

Eu vi o carro                            se espatifar
Ninguém nunca que viu                    sinal fechado
O mundaréu de gente                      que foi lá olhar
Ele achavam o conhecer mas ninguém nunca lembrava quem era
o cara do Jornal das Nove

É hora do filme agora                   irmão
Estavam lá todos os cáubóis              de cús nas mãos
O mundaréu de gente                       que desistiu
Eu estava lá pra olhar
Era minha mão jurando, parada,           em cima do livrão
Eu estou aqui           só    pra         vo    cê

De pé                                    caiu do catre
Levava a kombi                           e mais badulaques
Descobre um atalho para casa             e ganha mais uns tragos
Foi bem na hora que notei                já era a minha vez
Acha o casaco                      toma o chapéu

Lembrei do trampo                  que escarcéu!
Lembra onde foi que guardou a escada     e fuma mais um cigarro
Alguém mais falou                  e eu caí dentro de um sonho

😐

Ouvi ao jornal, irmão                    agora
4mil covas em                            Blackburn, Lancashire
As covas eram bem rasas                  e cada foi cavada
Agora eles já sabem quantos mortos       enchem o Albert Hall
Fui eu quem             te                de                dou

disco IX {(1967)} Magical mystery tour \\|// A mágica o mistério a tour

salve salve queria Web esfera!

hoje é mais um #beatleniversário, e agora chegou a vez de rememorar 51 anos de “Magical mistery tour”, o nono disco de estúdio dos digníssimos cavaleiros de Liverpool!

polêmicas sobre esta tradução, vamos lá:
– a estrela-mãe Sol dá as caras em duas faixas,  e se existisse artigo denominador de gênero masculino ou feminino no idioma inglês, tenho 96% de certeza de que os The Beatles teriam concordado comigo;
– o passarinho Torvelinho, ou Gaio-azul como diz a internê, é o nome do Blue Jay de denominação científica Cyanocitta cristata da faixa “Blue jay way”, de Harrison;
– em mais uma disputa por gênero, escolhi o Morsa, e não a Morsa, em “I am the Walrus”, e aproveitei que a construção civil costuma dar o nome de suas ferramentas para o operador da ferramenta: o Morsa é um Pedreiro, em um universo onde também existem o Viga, o Carrinho de mão, e porque não a Chave? foi uma das mais trabalhosas faixas de todo o compêndio, porque a faixa foi deliberadamente escrita com o tom de absurdo por John Lennon, em resposta àqueles que gostavam de interpretar suas canções! é só lembrar que o Eggman também é uma personagem de Lewis Carrol na segunda parte da história de “Alice no país das maravilhas”… só visualizei a aproximação com a construção civil quando assisti ao filme “O jarro” (Ebrahim Forouzesh, 1992), numa cena em que, para dar uma sobrevida ao jarro que porta a água da escola, o professor prepara uma massa de barro-com-clara-de-ovos.
– e ainda nesta faixa: verti a Torre Eifel para o Monte Sinai, e transvesti Edgar Allan Poe de Edgar Burroughs – as coisas que fazemos em honra da rima!
– a travessa Penny e os campos de Morango, dois lugares que devem ser especiais para os autores, chegaram para o português como “Penny e-l@ine”, e a forma aportuguesada de “Strawberry fields”, preferi que prevalecesse o som – já faz 51 anos que o som ganha do sentido!-   e escrevi em português “Iztráubérri fíeldis”.

só relembrando, se alguém tiver uma dúvida ou uma sugestão de pauta pra transcriação, deixe a sugestão nos comentários ou escreva numa cartinha eletrônica direto pra este que vos escreve!

deste disco, já deu tempo de filmar “Strawberry fields”, na versão tupiniquim:

DISCO IX A mágica, o mistério, a tour (MAGICAL MYSTERY TOUR, lançamento de 27 de Novembro de 1967 pela Capitol, EUA, e em 08 de Dezembro de 1967 pela Parlophone, UK)


0
9 A-01 A MÁ61C4 0 M1573R10 4 T0UR (transcriação para “Magical mistery tour”, de John Lennon & Paul McCartney)
Vamos lá
Se apresse pro mistério            é a tour
Esta é a última chamada!
Quem já tem uma entrada?

A mágica o mistério a tour         dão seus pulos pra te levar embora
Dão seus pulos pra te levar embora te levar daqui

Satisfação garantida!

Esta é a última partida!

A mágica o mistério a tour         já se arrumam pra te levar embora
Já se arrumam pra te levar embora  te levar daqui

Esta é a última chamada!

Quem é que já tem a entrada?

A mágica o mistério a tour         chegaram pra te levar com eles
Chegaram pra te levar com eles      te levar daqui

A mágica o mistério a tour         só existe pra te levar com eles
Só existe pra te levar com eles    te levar daqui

09 A-02 O L0UC0 LÁ 3M C1M4 (transcriação para “The fool on the hill”, de Lennon&McCartney)
Dia após dia                                              Sozinho lá em cima
O homem de sotaque irrita                  e nunca desce pra vida
Mas ninguém quer saber dele            De vez em quando anda de joelhos
Ele nunca responde                                a nada

[Tem um louco                             lá em cima
[Vendo a Sol                                  ir-se embora
[Quem o olha nos olhos             vê o mundo rodar

Roda o caminho                                      a cabeça lá no alto
O homem tem mais de mil vozes       Ele nunca grita baixo
Mas ninguém nunca                              ouve dele
Nem aos sons que                                   tenta fazer
Pra ele isso não                                       faz falta

Aqui ninguém gosta dele
Eles sabem o que ele quer
Ele não fala do que gosta

[Tem um louco                             lá em cima
[Vendo a Sol                                  ir-se embora
[Quem o olha nos olhos             vê o mundo rodar

Mas ele não ouve a ninguém
Eles é que são a loucura
Eles não gostam dele

09 A-04 O J3170 D05 P4554R1NH05 (transcriação para “Blue jay way”, de Georgie Harrisongs)
Sopra fumaça sobre as casas
Perdi os amigos pelos caminhos
Acaba logo, alguém me disse
E esse se perdeu primeiro

[Favor                              não demore
[                 Faça com    que não demore, não
[Não demore  porque eu já vou dormir

Não doeu ter combinado
Nem apontei o caminho errado
Na dúvida só pergunte para a polícia
É só o que está tendo por aí

[Favor                              não demore
[                 Faça com    que não demore, não
[Não demore  porque eu já vou dormir

Quero sim sair daqui
Já deu minha hora de dormir
Logo vai raiar o dia
Sentado aí, igual a um vigia

09 A-05 SU4 MÃ3 É QU3M D12 (transcriação para “Your mother should know “, de Lennon&McCartney)
É hora de acordar               pra uma música dançar
Uma que é sucessão de      antes da sua mãe nascer
E olha que ela                       nasceu há um tempão muito tempo atrás
Sua mãe                 é quem diz
Sua mãe                 sabe bem

Levantem os corações bem     lá em cima pra cantar
Uma música que é sucesso desde antes da sua mãe nascer
E olha que ela          nasceu há um tempão muito tempo atrás
Sua mãe                 é quem diz
Sua mãe                 sabe bem

09 A-06 EU 50U 0 M0R54 (transcriação para “I am the Walrus”, de Lennon&McCartney)
Você é ele e e eu também           e todos nós somos só um mesmo todo
Veja a corrida                de animais em fúria               veja só o vôo
Meu choro

Montado em um cereal               espero o carona passar
Roupa do trabalho                        cadê meu feriado?
O tamanho dos seus pêlos           é o que é que diz quem você é!

[Eu sou pedreiro!
[Cês é pedreiro!
[O Morsa é eu!

Lá no centro      os polícia senta        uma fileira inteira só de Federal
Olha eles voando        igual a Lúcia dos Céus,       eles vão correr!
Meu choro

Pudim de cor mostarda              pinga do olho de um cão sarnento
Sacerdotisa pornôstar              boca-suja mal-lavada
Você fica bem malvada              se tirar o sapato fora!

Sento em um jardim chinês
e espero a Sol se pôr
se a Sol não for
é porque choveu
senão você pegou uma cor

Especialistas falam                tossem e fumam
o coringa fez mais                 outra com os irmãos
Olha só o sorriso              de animais no cio       é só satisfação
Meu choro

Sardinhas vegetarianas                  escalam o Monte Sinai
Os pinguins estão estudando        entoando o Hare Krishna
Você perdeu o dia do recital         de Edgard Burroughs

09 B-07 OLÁ 3U JÁ V0U (transcriação para “Hello, goodbye”, de Lennon&McCartney)
Você diz sim                       e eu falo não
É pra parar                        e eu só entendo vai, vamos lá!
Ah!, não!
[Você diz já vou!                   E eu falo olá!
            [Olá, eu já vou!
            [Sei lá porque se me diz olá!,
[Eu falo já vou!

Eu falo é pra cima                 e você diz é pra baixo
Você quer saber                    e eu não sei o quê!
Ah!, não!

[   ]

Você diz já vou!                       E eu falo olá!
Você me disse o sim               mas eu disse o não
Você quer parar                      e eu só entendo vamos lá!
Ah!, não!
Você diz já vou!                   E eu falo olá!

09 B-08 Iztráubèrri Fìeldis pra sempre ((transcriação para “Strawberry fields”, de Lennon&McCartney)
[Deixa eu te levar, eu já vou prá lá      Iztráubèrri Fìeldis,   Nada é real
[E nada pra se preocupar                       Iztráubèrri Fìeldis pra sempre

Viver de olhos fechados é fácil          Desentendidos é o que se vê
É bem difícil ser alguém                     mas tudo vai bem
Isto não me faz sentido algum

[   ]

Ninguém eu acho está em minha árvore     Ou é pra cima ou é pra baixo
Assim não dá, você sabe,                                   para se desligar
Assim não é de todo ruim

[   ]

Saiba às vezes acho que sou eu           Você já sabe e eu sei se é sonho
Eu penso em não, eu digo sim              e tudo vai mal
Assim eu acho que não vai

09 B-09 P3N1  3-L@1N3 (transcriação para “Penny Lane”, de Lennon&McCartney)
Na Penny Lane mora um barbeiro colecionador
Mostra suas fotos de todos em quem já trabalhou
E todo mundo que ali já se sentou,
volta e lhe diz “ow!”

Na outra esquina mora um banqueiro que é bem cortês
As criancinhas sempre lhe fazem aprender
E o banqueiro jura que não é escocês
Sai a ver o céu chover – vai entender!

[Penny Lane, rua que mora em meu coração
[Lá pra trás dos montes, da confusão
[Sento, e me lembro do que já foi…

Na Penny Lane mora um bombeiro com uma clepsidra
E na carteira leva fotos da Rainha
Ele sempre limpa as ferramentas
Máquina de limpeza!

[Penny Lane rua que mora em meu coração
[Cheia da vida selvagem, da molecagem
[É só chegar o verão…

Atrás do asilo de uma das rotatórias
Uma enfermeirinha troca filhotes por um talher
Ela pensa que a vida é um grande palco
Às vezes é mesmo assim!

Na Penny Lane, o barbeiro ganhou consumidor
Esperando o corte, vemos o banqueiro
O bombeiro entrou para fugir
Da chuva no poente – vai entender!

09 B-10 NENÉM, TÚ É UM C4R4 R1C0 (transcriação para “Baby, you are a rich man”, de Lennon&McCartney)
O que é você ser                   uma das mais belas pessoas?
Agora que sabe                     quem tu és
o que você quer ser?
Você viajou por muito longe?
Tão longe quanto se vê

Como é pra você ser                uma das mais belas pessoas?
Por quanto tempo                    ficou lá?
Tempo bastante pra saber
O que você viu                         quando esteve lá?
Tudo de todo lugar

[Neném tú é um cara rico
[Neném tú é um cara rico
[Neném tú também é um cara rico
[Você guarda tua grana numa mala grande e marrom
[que coisa irmão

Como é pra você ser                uma das mais belas pessoas?
Sempre em tom                        natural “mi”?
Contente em estar                   assim
Agora que achou                      mais uma peça,
aonde será                                 que ela encaixa?

09 B-11 SÓ 0 4M0R JÁ 84574 (transcriação para “All you need is love”, de Lennon&McCartney)
Ainda não inventaram                   o que não pode ser desfeito
Não é só você que canta                o que ninguém mais canta
Não há nada a ser dito agora       se você aprender o jogo
É fácil!

Ainda não inventaram                   algo que não seja possível
Quem aqui vai ser salvo                não depende do teu intento
Não há nada a ser feito agora      você vai entender o seu tempo
É assim!

[Só o amor já basta
[Só o amor já sobra
[Só precisa amar
[Amar é o que se precisa

Ainda não inventaram                 o que nunca vai ser conhecido
Não há como já ter visto              o que ninguém mostrou
Tudo o que está acontecendo agora  já era pra estar acontecendo antes
É isso!