Disco XII {(1969)} Abbey road \\|// Rua Abbey

disco 12. Rua Abbey
26 de Setembro de 1969

 

12.A-01 CH364 JUN70 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Vem lá aquele velhote, ele ginga bem devagar, ele
toca corneta ele não largou a chupeta, ele
tem o cabelo até os joelhos
[   Se acha o coringa só faz o que lhe traz bem

Não tem sapato, ele tem toe jam futebol, ele tem
dedo de macaco, ele chuta coca cola e me diz
“sei de você, sabe de mim”
[   Eu sempre repito a gente tem que ser livre

r.

[ Chega junto!
[ Vem cá!
[ Vem comigo!

Compra no atacado, ele só usa pele de morsa, ele tem
capô de fusca, ele é anda com capacete, ele tem
os pés pra baixo dos joelhos
Senta em sua cadeira pra doença o remoer

Roleta russa, ele gosta pavio curto, ele tem
água barrenta, ele é mojo filtra, ele diz
“Um e um e um é três”
Tem que estar bonito, a coisa é ruim de se ver

 

12.A-02 AQU3L3 4L60 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de George Harrison, direitos protegidos por Harrisongs Infinite)

Aquele algo o jeito de mexer
Me atrai igual ao de nenhuma outra amante
Aquele algo o jeito de me ver
[ Não vou mais deixá-la ir embora
[ Já sabe acredito agora

Aquele lá do sorriso dela quando vê
Que eu não preciso de nenhum outro amor
Aquele algo o jeito de mostrar
[

r.
Você quer saber se vou te amar?
Eu sei lá! Eu não sei!
Para descobrir vamos ficar
Eu sei lá! Eu não sei!

Aquele jeito de mostrar que ela sabe
E só o que faço é pensar nela
Aquele jeito que só ela me tem
[

 

12.A-03 M4R73L1NH0 D0UR4D0 D0 M4X (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Joana era meio tísica estuda parafísica
E ciências no porão de casa.
Até bem tarde da noite só de tubos nas mãos

Maxwell Edison formando de medicina
Pra ela liga e pergunta “então?
“Vamos dar um rolê, ó Joana, tá passando um cinemão!”
[ Ela está quase pronta pra ir
[ E uma batida vem lá da porta

r.
Bang bang martelinho dourado do Max
Varou uma cabeça
Bang bang martelo d’ouro do Max
Esse daí, mais um que já era

De volta a mais um dia de aula Maxwell nunca dá guela
E aos professores nunca dá trégua
Pra evitar embaraços, o Maxwell encarou detenção

Daí um professor lhe diz, “Quando soar o sino
o Max não vai embora!
Você vai ficar aqui pra me escrever todo o mal do teu coração.”
[ Foi só o mestre lhe dar as costas,
[ O pupilo lhe bateu de lado

O carro da 31 pegou mais um rato que encurralou
E o Max em julgamento:
Lá ele só fala das coisas às quais diz que não lembra se ele fez

A Rose e a Valerie gritavam para se fazerem ouvir
Deixem o Max sair (((deixem ele sair)))
Mas o juiz não aprova, e ele só diz: “Vocês!, fora daqui!”
[ O Meritíssimo fez-se pronunciar
[ Vem lá mais uma pancada!

 

12.A-04 M1NH4 P3QU3N4 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Minha pequena acredite
Nunca lhe farei mal algum
Acredite se te digo
Nunca lhe farei mal nenhum

Minha pequena se me deixar
Nunca vou dar conta sozinho
Acredite se agradeço
Nunca me deixe tão sozinho

[ Quando disse que não precisava mais de mim
[ Você se lembra, eu me quebrei e passei mal
[ Você me disse que não precisava mais de mim
[ Eu mais que me quebrei, quase passei dessa pra melhor

 

12.A-05 O J4RD1M D05 73N74CULÓ1D35 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de Ringo Starr, direitos protegidos por STARLING)

Queria morar abaixo do mar
No jardim dos tentaculóides bem na sombra
Ele quem convida a ouvir música
É o jardim dos tentaculóides ali na sombra
[ Ia chamar todo mundo que conheço
[ A visitar os tentaculóides

Lá é aconchegante sem tempo ruim
É um esconderijo não é uma cisterna
Tem colchões d’água, dá pra dormir legal
O jardim dos tentaculóides é uma caverna
[ É onde se canta e dança com vontade
[ Dentro da água não anda a maldade

A gente ia gritar e até nadar
Ver como vivem os corais embaixo do mar
É uma alegria para cada um de nós
Saber que a vida marinha sabe o que faz
[ Dá pra viver muito bem e muito feliz
[ Ninguém diz a ninguém o que fazer

r.
Queria morar abaixo do mar
No jardim dos tentaculóides eu e você

 

12.A-06 T3 QU13R0 (3L4 É TÃ0 P354D4) (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Te quiero
Te quiero pacas
Que me faz passar mal
Me faz passar mal
[   Ela é leve
[   Leve, leve, leve

 

12.B-01 LÁ V3M 4 50L (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de George Harrison, direitos protegidos por Harrisongs Infinite)

r.
Lá vem a Sol
Vem lá a Sol e daí
Fica bem

Meu benzinho o inverno aqui é ainda mais frio sozinho
Meu benzinho parece séculos sem saber de ti

Minha benzinho o meu inverno também me traz sorrisos
Minha benzinho parece séculos sem ouvir de ti

[ Sol, Sol, Sol, lá vem ela

Meu benzinho a chuva aqui ainda vai nos molhar muito
Meu benzinho não passa o tempo se não te vejo

 

12.B-02 P0RQUÊ (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Porque o mundo dá voltas
Isso me faz bem
Porque o mundo dá voltas…

Porque a brisa é braba
Me breca a mente
Porque a brisa é braba…

[ O velho é amor, o amor é novo
[ O tudo é amor, o amor é teu

Porque o céu é azul
Eu choro muito
Porque o céu é azul…

 

12.B-03 NUNC4 M3 DÊ 7U4 6R4N4 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Nunca me dê tua grana
De você quero papéis sem graça
E bem no meio da negociata, você desata
Nunca te dou meu número
A você te dou só minha situação
e bem no meio da investigação, eu desato
[ Fora d’aula, vazou a grana
[ Nenhum futuro, nenhum aluguel
[ Toda grana vazou, lugar nenhum pra ir
[ Não tem feitor que leva a sacola
[ Segunda-feira, de manhãzinha
[ A preocupação matura
[ Nenhum lugar pra ir

[ Olha a sensação mágica
[ De não ter lugar pra ir
[ Esta sensação mágica
[ Nenhum lugar pra ir
[ Não ter lugar pra ir, não!

[ É só sonhar
[ Faça suas malas, vamos pra limosine
[ Logo vamos embora daqui
[ Aperte esse gás e manda a tristeza embora
[ É só sonhar e viver o hoje
[ E viver o hoje
[ Já virou sim

Dois três quatro cinco meia sete oito
As crianças e os deuses todos gostam de biscoitos

 

12.B-04 R31 50L (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Lá vem a Rei Sol
Vem lá a Sol Rei

Todo mundo dorme
Todos é só ser feliz
Lá vem a Sol Rei

Quando paramucho mi amore de felice carathon
Mundo paparazzi mi amore cicce verdi parasol
Questo abrigado tanta mucho que canite caroussel

 

12.B-05 M3N1N0 M357R3 M0574RD4 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Menino mestre Mostarda dorme numa carroça
caga no escuro, não quer gastar as lâmpadas
Armou um cercado na Bandeirantes
Faz poupança para comprar um Armani
Passa gel na sua monosselha
[ É assim miserável!
[ Velhote safado!

É dele a irmã Pam que malha todo dia
Trampa os três turnos, ela corre atrás!
De passeio para bisbilhotar a coroa
O único rolê que ele suporta
E sempre sai de lá blasfemando
[

 

12.B-06 P0LYTH3N3 P4M (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Todo mundo tinha que conhecer a Pam
Ela é bonitona mas parece meu irmão
É de ver ela trampando, a drag polythene mag
Você vai conhecer a Polythene Pam!

Tomar uma dose dela de kilt e botinão
Ela fica demais se souber onde por as mãos
É aquele tipo de mulher que te faz ser o que você é
Dá pra dizer que quer apresentar à sua mãe!

 

12.B-07 3L4 3N7R0U P3L05 V17R4L D0 84NH31R0 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Ela entrou pelos vitral do banheiro
Nascida em um berço de ouro
Me mostrou o médio e foi embora
Navegar nas próprias marés
[ Será que ninguém lhe disse?
[ Ninguém mesmo a viu?
[ Segunda ligação para Terça
[ Quinta ligação pra mim

Disse que sempre foi bailarina
Trampava uma pá de lugar por dia
Jurava de pé junto que sabia de tudo
Eu só sabia o que não lhe diria

Saí da sala do delegado
Fui e encontrei um trabalho pra mim
Me lembro dela, ela só me queria o bem pra todos
Mestre em furtar, mas no roubo uma mirim

 

12.B-08 C4M8R4145 D’0UR0 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Era uma vez voltando para casa
Era uma vez de volta ao lar
Durma queridinha não chores mais
Fiz para você uma de ninar
[ Cambraias de ouro adentram a vista
[ Sorrisos revém quando tu piscas
[ Durma minha querida, não chores mais
[ Fiz para você uma de ninar

 

12.B-09 A6U3N74R 4 PR3SSÃ0 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Irmão, tú vai levar essa pressão
Tem que aguentar a pressão
Ainda um tempão

Nunca te dou meu colo
Te falo apenas das minhas vontades
E bem no meio das efemeridades
Você desata

 

12.B-10 AO F1N4L (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

Ah é
Já é
Será que eu vou sonhar com você hoje?
E ao final
O amor que vai
É igual ao amor que fez

 

12.B-11 4 R34L M4J3574D3 (transcriação de r.l.almeida @846r3, letras & música de John Lennon & Paul McCartney, direitos protegidos por Sony ATV Muzyc Inc)

A Majestade é mesmo bonitinha
Mas parece que não tem nada a dizer
A Majestade é mesmo bonitinha
Sua opinião muda da vinho para a água
[ Ainda vou lhe mostrar como eu A amo demais
[ Não é preciso tanto assim de alcool
[ A Majestade é mesmo muito bonitinha
[ Talvez algum dia ainda seja minha, ah, é,
[ Talvez ainda seja minha

disco XI {(1969)} Yellow submarine  \\|// Amarelo submarina

disco lançado em 17 de Janeiro de 1969 no Reino Unido, pela Apple.

salve salve minha pova e meu povo dessa imensa e azul bloguesfera. venho aqui como de costume em dias de #beatleniversários para atravessar a ponte do inglês para o portugês, naquela velha e boa tentativa de quebrar o código e entregar a mensagem para quem não lê nem compreende o idioma do bom bardo de sapatos pontudos.

hoje, quem vai para a bancada de cirurgias é a experiência em filme dos The Beatles conhecida como Yellow submarine, soprando as velinhas das bodas de ouro dos 50 anos. a música já fazia parte do compêndio dos distintos cavaleiros de Liverpool desde 1966, quando apareceu no disco “Revolver”e também em formato de single, dividindo a bolachinha com “Eleanor Rigby”. o filme estreia em Julho de 1968, e a trilha sonora sai em Janeiro de 1969. no filme, os personagens de Paul e John e Ringo e George são dublados por atores, e não pelos musicistas. Amarelo submarina veio dois meses depois do antológico “Album vazio”. vítima de tamanho eclipse, normalmente nos referimos ao Amarelo submarinacomo simples obrigação contratual do grupo para com sua gravadora, um disco menor e até mesmo infantil.

polêmicas desta tradução:
continuo com o uso do artigo de gênero feminino à estrela mãe, Sol (das seis faixas cantadas, o substantivo aparece em duas). inclusive, o gênero também é feminino para a Submarina, que adjetiva o Amarelo. na minha versão, o Amarelo é Submarina – e não o corriqueiro “Submarino amarelo” que passamos 50 anos ouvindo.
a primeira faixa de Georgie Harrisongs no disco é “Only a northern song”,  e decidi correr o risco de ser levemente preconceituoso e, ao invés de traduzí-la como “Só mais uma canção do norte”, chamei de “Só mais uma canção (sertanejo universitário)”esperando que o contexto explicasse a estranheza do título.
a segunda contribuição de Harrisongs ao disco é a exotérica “It´s all too much”, e foi com ela que ficou claro para mim que George Harrison é um poeta além da forma. as menções a Diadorim e ao celebrado “Grande Sertão: Veredas”foi uma tentativa de chegar perto da mensagem do beatle, naquelas loucuras que fazemos em nome da rima, e infelizmente não consta na letra original do musicista.

e agora,
como costumamos dizer em Ararararararararararararcrazy:
agora, com vocês…

 

OOOOOOOOOS BRIIIIIITTOOS!!!

 

DISCO XI Amarelo submarina (YELLOW SUBMARINE, lançado pela Apple em 13 de Janeiro de 1969 nos EUA e em 17 de Janeiro de 1969 no Reino Unido)

11 A-01 4M4R3L0 5U8M4R1N4 (transcriação para “Yellow submarine”, de John Lennon & Paul McCartney)
No lugar em que nasci
Tinha um velho lobo do mar
Que contava da sua vida
Na Terra de Lá das submarinas

Navegava atrás da Sol
Até o mais verde&fundo das marés
A nossa vida era entre as ondas
Na Amarelo Submarina

A nossa vida é Amarelo Submarina

Os amigões já estão à bordo
Tem muito mais deles mundo afora
Olha a banda já vai tocar

Uma boa vida de bonança
Cada um do todo tinha de tudo:
O Azul do Céu & os Verdes Mares
Na Amarelo Submarina

 

11 A-02 SÓ M415 UM4 C4NÇÃ0 (53RT4N3J0 UNIV3R5ITÁR10) (transcriação para “Only a northern song”, de George Harrison)
Quem ouvir a esta canção
Vai pensar que as notas estão indo mal
Mas não estão
Ela toca assim

Quem ouvir tarde da noite
Vai pensar que a banda não ensaiou
Mas ensaiam
E ainda tocam assim

Não faz nenhum sentido as notas que eu toco
As palavras ditas & o tempo que já é
Esta é só mais uma canção
      Não faz nenhum problema usar roupa nenhuma
      Qual é o câmbio & se um olho é castanho
      Esta é só mais uma canção

Quem pensar que a harmonia
É pesada & meio fora de tom
Vai estar certo
Não tem mais ninguém lá

11 A-03 T0D05 JUN705 460R4 (transcriação para “All together now”, de Lennon&McCartney)
Um dois três quatro cinco
Posso pegar mais um pouquinho?
Seis sete oito nove dez eu
Te amo

A B C e D
Vamos no meu amigo ver tevê?
F G H I J K eu
Te amo

Virar o barco
      Cortar o rato
Lavar o prato
Olha pra mim
Todo mundo agora

Preto branco vermelho & verde
Vamos na festa do cabide?
É rosa bolinhas amarelinhas eu
Te amo

11 A-04 E1, 8ULD06U3 (transcriação para “Hey, bulldog!”, de Lennon&McCartney)
Sheepdogue
Parado no quintal
Peixe-boi
É um outro animal
É um tipo de felicidade que se cheira de longe
Por que se acha especial, só porque é bonito?

Pivete
Pondo a mão no fogo
Valete
Escorrendo entre as mãos
É um tipo de juventude que se cheira de longe
Você não sabe o que é dar asas aos seus medos

      Pode me dizer
      Pode me dizer
Pode me dizer
Se pirar pode vir me dizer

Velhote
No parque de pé descalço
Oca
Ecoa o medo de andar no mato
É um tipo de solidão que se enxerga em você
Você acha que me conhece mas não conhece nem a você

11 A-05 É MU170 D3M415(transcriação para “It´s all too much”, de George Harrison)

nos olhamos olhos nos olhos, quero ver o que você faz
e por mais que fique te olhando ainda quero te ver mais

diadorando vereda abaixo a cada vida estamos juntos
deixa de existir onde está ou gostaria de

navegue-me em uma Sol estatelada onde somos nós mesmos
prove-me que nós somos tudo e depois me leve pra jantar

11 A-06 S0 0 4M0R JÁ 84574 (transcriação para “All you need is love”, de Lennon&McCartney)
Ainda não inventaram               o que não pode ser desfeito
Não é só você que canta            o que ninguém mais canta
Não há nada a ser dito agora       se você aprender o jogo
É fácil!

Ainda não inventaram               algo que seja não seja possível
Quem aqui vai ser salvo            não depende do teu intento
Não há nada a ser feito agora      você vai entender o seu tempo
É assim!

Só o amor já basta
Só o amor já sobra
Só precisa amar
Amar é o que se precisa

Ainda não inventaram               o que nunca vai ser conhecido
Não há como já ter visto           o que ninguém mostrou
Tudo o que está acontecendo agora  já era pra estar acontecendo antes
É isso!

 

 

 

disco VI {(1965)} Rubber soul \\|// Alma gomae #beatlemania #thebeatlesemportugues

 

DISCO VI Alma gomae (RUBBER SOUL, lançamento de 03 de Dezembro de 1965 pela Parlophone, UK)

06 A-01 D1R161R M3U C4RR0
Perguntei “Amor, o que é que você quer ser?”
E ela, “Neném, tente me entender,
vou ser famosa, uma estrela da tela,
vou te deixar doido pra ficar com ela!”

Pode dirigir meu carro Você vai ficar um sarro
Pode dirigir meu carro Benzinho, eu te amo!

Eu disse “Amor, onde é que me alisto?”
E ela, “Neném, isso já é bem visto,
ensina até aos filhos a lição,
vou te levar para andar de avião!”

Eu disse “Amor, quando é que começo?”
E ela, “Neném, não é nenhum retrocesso,
não ter um carro e os sapatos tão gastos,
achei meu motorista e ele é um gato!”

06 A-02 T0N3L D3 C4RV4LH0 (0 81CH0 V00U)
Eu já tive alguém melhor dizer, alguém já me teve
Ela me levou pra casa, ficou de embaraço, tonel de carvalho

Você fica aí o que quer que seja isso aí
Foi quando eu fui ver, eu notei não tem mais nada aqui

Daí me sentei no rancho pra passar o tempo, bebi todo o ponche
Era alta madrugada e ela me disse, “vou dar uma deitada”

Me contou do trabalho, do dia, ficou doida e só ria
Eu lhe disse do meu nada e fui pra soneca embaixo da pia

Daí quando acordei não tinha ninguém, o bicho voou
Preparei uma fogueira com aquela madeira tonel de carvalho

06 A-03 QU3M V41 M3 V3R || Ninguém vai nem ver
vez, toda vez

06 A-04 S3NH0R N1N6UÉM
Ele é um real Senhor Ninguém
Senta em sua terra de Ninguém
Faz os planos de ninguém para lugar algum
Não sabe para as coisas olhar
Não sabe aonde é que vai parar
Não tem um pouco dele em cada um de nós?

Senhor Ninguém, ainda há tempo!
Não faz idéia do que está perdendo
Senhor Ninguém o mundo inteiro ao seu comando

Se faz de cego, mas pode ver
Escolhe o que vai entender
Senhor Ninguém, me vê parado aqui na frente?

Senhor Ninguém, não há pressa!
O seu tempo é o que lhe interessa
Quem sabe na próxima alguém mais lhe dá a mão

06 A-05 Melhor pensar sozinho

06 A-06 O livro
diga o livro que te liberta
diga o livro que nos traz mais perto
diga o livro em que estou pensando

06 A-07 M1CH43LL4
Michaella, minha bela
São palavras que casam bem com ela
Minha Michaella

Michaella, ma belle
Sont des mots qui vont trés bien, ensamble!
Trés bien!, ensamble

Te amo, te amo, te amo
É só o que eu sei dizer
Antes de achar um jeito
Só vou dizer as poucas palavras que sei que vai entender

Michaella, kleine mädchen
Das sage ich und so immer gleich
So immer gleich
Te quero, te quiero, ich wunsche dir
Você tem que saber ver
O que um é pro outro
Até então eu fico aqui esperando você (me) perceber

Te quero, te quiero, ich wunsche dir
Já deu pra você perceber
Eu sempre chego até você
Até então só vou dizer o que sei que (você) vai entender

A // B

06 B-01 O que se passa

06 B-02 G474
Será que alguém aqui quer ouvir a minha história
Da garota que chegou para ficar?
Ela é o tipo de garota que te leva à glória
Você, bobo, só pede para ela ficar

Ah, garota
Gata

Quando eu lembro como foi ruim toda separação
Era só me ver pra ela chorar
Ela me deu os céus a terra e até todo o inferno
Bobo, eu só sabia acreditar

Ah, garota
Gata

Ela é aquela mina que te destrata com as amigas
Te faz de tonto
Se tú diz um elogio Ela finge um assobio
Ela é a legal! Legal!

Ela não sabe por que o amor difere do ódio
o quanto de trabalho paga o lazer
Ela não quer nem saber dos problemas dos outros
e não vai estar nem aí se tú morrer

06 B-03 Olho pra você
Olho pra você Pra onde foi?//Cadê você?
Achava te conhecer Quem ia dizer
Não está diferente Mas já mudou//Mas mudou sim
Olho pra você Já não é a mesma
Sua boca mexe Não sei ouvir
Sua voz suave Palavras frequentes
Não está diferente É o jogo que mudou
Olho pra você Já não é a mesma
Como vou explicar Você nunca quis me amar
Amor é um hábito passageiro Que com a noite vai voar

06 B-04 N4 M1NH4 V1D4
Tem lugares que me lembram
do que vivi e do que mudou
d’alguns “pra sempre”, d’outros “melhoras”
dos que partiram e de quem restou

Os lugares e cada um destes momentos
Com amantes e amigos que ainda me vêem
Alguns se foram outros ainda são bem dançantes
Na minha vida os amei demais

Dos que conheço e ainda amo
não existe ninguém no teu patamar
O saudosismo perde o sentido
quando vejo o amor que você me traz

Eu sei, não tem como parar com isso
O que já se foi, querer bem&mais
A gente só aprende com a Distância
Na minha vida, os amei demais
Amei-os todos demais

06 B-05 Calma

06 B-06 Se precisar de alguém

06 B-07 Correr tudo o que tem, garotinha

disco IX {(1967)} Magical mystery tour \\|// A mágica o mistério a tour

salve salve queria Web esfera!

hoje é mais um #beatleniversário, e agora chegou a vez de rememorar 51 anos de “Magical mistery tour”, o nono disco de estúdio dos digníssimos cavaleiros de Liverpool!

polêmicas sobre esta tradução, vamos lá:
– a estrela-mãe Sol dá as caras em duas faixas,  e se existisse artigo denominador de gênero masculino ou feminino no idioma inglês, tenho 96% de certeza de que os The Beatles teriam concordado comigo;
– o passarinho Torvelinho, ou Gaio-azul como diz a internê, é o nome do Blue Jay de denominação científica Cyanocitta cristata da faixa “Blue jay way”, de Harrison;
– em mais uma disputa por gênero, escolhi o Morsa, e não a Morsa, em “I am the Walrus”, e aproveitei que a construção civil costuma dar o nome de suas ferramentas para o operador da ferramenta: o Morsa é um Pedreiro, em um universo onde também existem o Viga, o Carrinho de mão, e porque não a Chave? foi uma das mais trabalhosas faixas de todo o compêndio, porque a faixa foi deliberadamente escrita com o tom de absurdo por John Lennon, em resposta àqueles que gostavam de interpretar suas canções! é só lembrar que o Eggman também é uma personagem de Lewis Carrol na segunda parte da história de “Alice no país das maravilhas”… só visualizei a aproximação com a construção civil quando assisti ao filme “O jarro” (Ebrahim Forouzesh, 1992), numa cena em que, para dar uma sobrevida ao jarro que porta a água da escola, o professor prepara uma massa de barro-com-clara-de-ovos.
– e ainda nesta faixa: verti a Torre Eifel para o Monte Sinai, e transvesti Edgar Allan Poe de Edgar Burroughs – as coisas que fazemos em honra da rima!
– a travessa Penny e os campos de Morango, dois lugares que devem ser especiais para os autores, chegaram para o português como “Penny e-l@ine”, e a forma aportuguesada de “Strawberry fields”, preferi que prevalecesse o som – já faz 51 anos que o som ganha do sentido!-   e escrevi em português “Iztráubérri fíeldis”.

só relembrando, se alguém tiver uma dúvida ou uma sugestão de pauta pra transcriação, deixe a sugestão nos comentários ou escreva numa cartinha eletrônica direto pra este que vos escreve!

deste disco, já deu tempo de filmar “Strawberry fields”, na versão tupiniquim:

DISCO IX A mágica, o mistério, a tour (MAGICAL MYSTERY TOUR, lançamento de 27 de Novembro de 1967 pela Capitol, EUA, e em 08 de Dezembro de 1967 pela Parlophone, UK)


0
9 A-01 A MÁ61C4 0 M1573R10 4 T0UR (transcriação para “Magical mistery tour”, de John Lennon & Paul McCartney)
Vamos lá
Se apresse pro mistério            é a tour
Esta é a última chamada!
Quem já tem uma entrada?

A mágica o mistério a tour         dão seus pulos pra te levar embora
Dão seus pulos pra te levar embora te levar daqui

Satisfação garantida!

Esta é a última partida!

A mágica o mistério a tour         já se arrumam pra te levar embora
Já se arrumam pra te levar embora  te levar daqui

Esta é a última chamada!

Quem é que já tem a entrada?

A mágica o mistério a tour         chegaram pra te levar com eles
Chegaram pra te levar com eles      te levar daqui

A mágica o mistério a tour         só existe pra te levar com eles
Só existe pra te levar com eles    te levar daqui

09 A-02 O L0UC0 LÁ 3M C1M4 (transcriação para “The fool on the hill”, de Lennon&McCartney)
Dia após dia                                              Sozinho lá em cima
O homem de sotaque irrita                  e nunca desce pra vida
Mas ninguém quer saber dele            De vez em quando anda de joelhos
Ele nunca responde                                a nada

[Tem um louco                             lá em cima
[Vendo a Sol                                  ir-se embora
[Quem o olha nos olhos             vê o mundo rodar

Roda o caminho                                      a cabeça lá no alto
O homem tem mais de mil vozes       Ele nunca grita baixo
Mas ninguém nunca                              ouve dele
Nem aos sons que                                   tenta fazer
Pra ele isso não                                       faz falta

Aqui ninguém gosta dele
Eles sabem o que ele quer
Ele não fala do que gosta

[Tem um louco                             lá em cima
[Vendo a Sol                                  ir-se embora
[Quem o olha nos olhos             vê o mundo rodar

Mas ele não ouve a ninguém
Eles é que são a loucura
Eles não gostam dele

09 A-04 O J3170 D05 P4554R1NH05 (transcriação para “Blue jay way”, de Georgie Harrisongs)
Sopra fumaça sobre as casas
Perdi os amigos pelos caminhos
Acaba logo, alguém me disse
E esse se perdeu primeiro

[Favor                              não demore
[                 Faça com    que não demore, não
[Não demore  porque eu já vou dormir

Não doeu ter combinado
Nem apontei o caminho errado
Na dúvida só pergunte para a polícia
É só o que está tendo por aí

[Favor                              não demore
[                 Faça com    que não demore, não
[Não demore  porque eu já vou dormir

Quero sim sair daqui
Já deu minha hora de dormir
Logo vai raiar o dia
Sentado aí, igual a um vigia

09 A-05 SU4 MÃ3 É QU3M D12 (transcriação para “Your mother should know “, de Lennon&McCartney)
É hora de acordar               pra uma música dançar
Uma que é sucessão de      antes da sua mãe nascer
E olha que ela                       nasceu há um tempão muito tempo atrás
Sua mãe                 é quem diz
Sua mãe                 sabe bem

Levantem os corações bem     lá em cima pra cantar
Uma música que é sucesso desde antes da sua mãe nascer
E olha que ela          nasceu há um tempão muito tempo atrás
Sua mãe                 é quem diz
Sua mãe                 sabe bem

09 A-06 EU 50U 0 M0R54 (transcriação para “I am the Walrus”, de Lennon&McCartney)
Você é ele e e eu também           e todos nós somos só um mesmo todo
Veja a corrida                de animais em fúria               veja só o vôo
Meu choro

Montado em um cereal               espero o carona passar
Roupa do trabalho                        cadê meu feriado?
O tamanho dos seus pêlos           é o que é que diz quem você é!

[Eu sou pedreiro!
[Cês é pedreiro!
[O Morsa é eu!

Lá no centro      os polícia senta        uma fileira inteira só de Federal
Olha eles voando        igual a Lúcia dos Céus,       eles vão correr!
Meu choro

Pudim de cor mostarda              pinga do olho de um cão sarnento
Sacerdotisa pornôstar              boca-suja mal-lavada
Você fica bem malvada              se tirar o sapato fora!

Sento em um jardim chinês
e espero a Sol se pôr
se a Sol não for
é porque choveu
senão você pegou uma cor

Especialistas falam                tossem e fumam
o coringa fez mais                 outra com os irmãos
Olha só o sorriso              de animais no cio       é só satisfação
Meu choro

Sardinhas vegetarianas                  escalam o Monte Sinai
Os pinguins estão estudando        entoando o Hare Krishna
Você perdeu o dia do recital         de Edgard Burroughs

09 B-07 OLÁ 3U JÁ V0U (transcriação para “Hello, goodbye”, de Lennon&McCartney)
Você diz sim                       e eu falo não
É pra parar                        e eu só entendo vai, vamos lá!
Ah!, não!
[Você diz já vou!                   E eu falo olá!
            [Olá, eu já vou!
            [Sei lá porque se me diz olá!,
[Eu falo já vou!

Eu falo é pra cima                 e você diz é pra baixo
Você quer saber                    e eu não sei o quê!
Ah!, não!

[   ]

Você diz já vou!                       E eu falo olá!
Você me disse o sim               mas eu disse o não
Você quer parar                      e eu só entendo vamos lá!
Ah!, não!
Você diz já vou!                   E eu falo olá!

09 B-08 Iztráubèrri Fìeldis pra sempre ((transcriação para “Strawberry fields”, de Lennon&McCartney)
[Deixa eu te levar, eu já vou prá lá      Iztráubèrri Fìeldis,   Nada é real
[E nada pra se preocupar                       Iztráubèrri Fìeldis pra sempre

Viver de olhos fechados é fácil          Desentendidos é o que se vê
É bem difícil ser alguém                     mas tudo vai bem
Isto não me faz sentido algum

[   ]

Ninguém eu acho está em minha árvore     Ou é pra cima ou é pra baixo
Assim não dá, você sabe,                                   para se desligar
Assim não é de todo ruim

[   ]

Saiba às vezes acho que sou eu           Você já sabe e eu sei se é sonho
Eu penso em não, eu digo sim              e tudo vai mal
Assim eu acho que não vai

09 B-09 P3N1  3-L@1N3 (transcriação para “Penny Lane”, de Lennon&McCartney)
Na Penny Lane mora um barbeiro colecionador
Mostra suas fotos de todos em quem já trabalhou
E todo mundo que ali já se sentou,
volta e lhe diz “ow!”

Na outra esquina mora um banqueiro que é bem cortês
As criancinhas sempre lhe fazem aprender
E o banqueiro jura que não é escocês
Sai a ver o céu chover – vai entender!

[Penny Lane, rua que mora em meu coração
[Lá pra trás dos montes, da confusão
[Sento, e me lembro do que já foi…

Na Penny Lane mora um bombeiro com uma clepsidra
E na carteira leva fotos da Rainha
Ele sempre limpa as ferramentas
Máquina de limpeza!

[Penny Lane rua que mora em meu coração
[Cheia da vida selvagem, da molecagem
[É só chegar o verão…

Atrás do asilo de uma das rotatórias
Uma enfermeirinha troca filhotes por um talher
Ela pensa que a vida é um grande palco
Às vezes é mesmo assim!

Na Penny Lane, o barbeiro ganhou consumidor
Esperando o corte, vemos o banqueiro
O bombeiro entrou para fugir
Da chuva no poente – vai entender!

09 B-10 NENÉM, TÚ É UM C4R4 R1C0 (transcriação para “Baby, you are a rich man”, de Lennon&McCartney)
O que é você ser                   uma das mais belas pessoas?
Agora que sabe                     quem tu és
o que você quer ser?
Você viajou por muito longe?
Tão longe quanto se vê

Como é pra você ser                uma das mais belas pessoas?
Por quanto tempo                    ficou lá?
Tempo bastante pra saber
O que você viu                         quando esteve lá?
Tudo de todo lugar

[Neném tú é um cara rico
[Neném tú é um cara rico
[Neném tú também é um cara rico
[Você guarda tua grana numa mala grande e marrom
[que coisa irmão

Como é pra você ser                uma das mais belas pessoas?
Sempre em tom                        natural “mi”?
Contente em estar                   assim
Agora que achou                      mais uma peça,
aonde será                                 que ela encaixa?

09 B-11 SÓ 0 4M0R JÁ 84574 (transcriação para “All you need is love”, de Lennon&McCartney)
Ainda não inventaram                   o que não pode ser desfeito
Não é só você que canta                o que ninguém mais canta
Não há nada a ser dito agora       se você aprender o jogo
É fácil!

Ainda não inventaram                   algo que não seja possível
Quem aqui vai ser salvo                não depende do teu intento
Não há nada a ser feito agora      você vai entender o seu tempo
É assim!

[Só o amor já basta
[Só o amor já sobra
[Só precisa amar
[Amar é o que se precisa

Ainda não inventaram                 o que nunca vai ser conhecido
Não há como já ter visto              o que ninguém mostrou
Tudo o que está acontecendo agora  já era pra estar acontecendo antes
É isso!

quem aqui sabe a história dos irmãos Britos?

não não não não minha gente, sem tempestade em copo de absinto com gelo&limão: não vim aqui pregar sobre os irmãos Rozendo e Manuel Brito VS o #autoritarismo, mas sim falar um pouco dos célebres, infames (e por que não dizer: GENIAIS) os excelentíssimos&distintos cavaleiros de #Liverpool: Ringo & George & John & Paul, os

   T  H  E          B  E  A  T  L  E  S

não tem como negar, eu sou beatlemaníaco mesmo. comecei a ouvir o idioma do tio Sam bem pequeno, assistindo a Star Wars e ouvindo aos incríveis rapazes de Liverpool. e de tanto repetir estas coisas, facilitou a aquisição do inglês como meu segundo idioma, lá para 1992, quando virou matéria de sala de aula.

o que estraga a gente é que desde pequeno a gente cresce ouvindo ( e obedeçendo!)  algumas #verdades #absolutas. do tipo: não se discutem futebol, religião, política. outra verdade absoluta: só é possível cantar um bom rock´n´roll em legítimo ingrêis pra ocêis, Shakespeares, Shelleys, Whitmans.

na minha humilde opinião, quando em uma conversa onde impera o respeito pelo próximo – na alvorada dos meus 38 verões de vida, acho que a única verdade absoluta é que o direito de uma pessoa termina onde começa o direito de outra – a religião, o futebol e a política são coisas MA RA VI LHO SAS de se discutir. e por discussão, quero dizer exatamente o sentido platônico&aristotélico&einsteiniano: o de ampliar horizontes. ainda na minha humilde opinião, quando ouvia ao Kiko Zambianchi cantando “Hey, Jude!”, até achava que a versão funcionava bem, mas quando a comparava com a versão que John Lennon e Paul McCartney escreveram, começava a concordar que essa era uma das verdades absolutas: não cantarás roquenrou em português!

e depois veio minha vida adulta. hoje, olho pra tanta gente ao meu redor que mal e mal fala o português correto, por falta de leitura, por falta de professorado, e vejo o que os ratos de gravatas do Senado&Congresso fazem com os meus colegas professores, e com um bilhão de aluninhos, pobrezinhos!, e com o fazmigerado #conhecimento – como esperar que as pessoas comuns compreendam toda uma letra em idioma estrangeiro, alheio, distante? estas idéias me dispararam uma vontade – que depois vim a saber que  era só #vocação – de traduzir ao português os The Beatles, tentando trazer à nossa realidade as letras do quarteto. porque se a versão do Zambianchi era a que cantava a voz do povo, às vezes a minha tentativa não ficaria melhor que a dele, mas pior não tinha como ficar.

e então comecei um processo de imersão no universo beatlemaníaco. foram quase 10 anos da minha vidinha medíocre&boêmia dedicados a estes caras, para traduzir todo o seu cancioneiro de 193 músicas para o português, respeitando sentido, e métrica, e rima, como se #Poesia fosse. e como se em português tivessem sido escritas, originalmente. oito anos traduzindo, e mais dois organizando a bagunça. utilizei como método para esta tradução a #transcriação, dos professores-irmãos Haroldo e Augusto de Campos, e, como esteio, muita leitura, releitura, treleitura, do “Finnícius Revém” do professor Donaldo Schuller publicado pela Ateliê Editorial, e as três primeiras edições no Brazyl pela editora Record do “On the Road”, com Eduardo Bueno e Antonio Bivar, comparando com os originais para jogar luz no meu caminho, tentando entender o que estes mestres da tradução bê érre fizeram. ainda, deu tempo de brincar um pouco de traduzir transcriando Dylan, Ramones, Presley e Marley&TheWailers.

para evitar uma publicação muito longa páro por aqui e abro espaço para um PDF que compilei, vertendo à minha língua materna os discos dos The Beatles, na coletânea de 1973, os álbuns Azul e Vermelho – cores escolhidas talvez por estarem na bandeira do Reino Unido. a brincadeira começou a fazer sentido porque se invertermos as cores, no sentido físico-químico&fotográfico, o Vermelho vira Verde, e o Azul, Amarelo: cores da nossa bandeira brasuca!

já sei que ainda vou falar sobre o legado dos irmãos Britos por pelo menos umas 12 vezes aqui nesta página, então por hoje é só, pe-pe-sso-all!